Aconteceu no SINESP

Dirigentes do SINESP estiveram em Brasília duas vezes neste ano, articulando para garantir a rápida tramitação e a aprovação do PLC 04/22, que revoga a exclusão da contagem de tempo de trabalho dos servidores públicos durante a pandemia.

A presença do autor do PLC, o senador mineiro Alexandre Silveira, na transição de governo e a proximidade dele com o presidente do Senado Rodrigo Pacheco podem potencializar as negociações para acabar com essa injustiça.

Nas duas idas a Brasília – a primeira antes das eleições gerais de outubro e a segunda nos dias 22 e 23 de novembro – a presidente do SINESP Norma Lucia Andrade dos Santos e o vice-presidente João Alberto Rodrigues de Souza contataram parlamentares para fazer pressão pela rápida tramitação e aprovação do PLC 04/22, que revoga a exclusão da contagem do tempo de trabalho na pandemia.

Na segunda viagem à cidade-sede do Governo Federal, os dirigentes do SINESP aprofundaram as tratativas iniciadas antes das eleições gerais, quando ouviram de diversos parlamentares que seria possível avançar na questão após o pleito.

Nessa segunda ação, Norma, João e os assessores do SINESP em Brasília Arícia Camargo e Enrico Ribeiro intensificaram os trabalhos para agilizar a tramitação do PLC 04/22 – parado na Secretaria desde fevereiro – e para a aprovação do texto.

Esse projeto, apresentado pelo Senador Mineiro Alexandre Silveira, propõe revogar a exclusão da contagem do tempo de trabalho em dezenove meses de pandemia pelos servidores públicos.

Não se pode simplesmente desconsiderar trabalho que aconteceu presencialmente”, enfatiza o vice-presidente do SINESP.

João Alberto realça que é preciso incluir o tema na pauta da transição de governo e defende a categoria: “Servidor público merece ter o seu direito respeitado”.

Os profissionais da Saúde e da Segurança conseguiram a exclusão, mas a regra injusta continua valendo para todos os outros Servidores Públicos do país, inclusive os da Educação.

O novo cenário político do Brasil e a transição de governo também foram temas das conversas dos Dirigentes do SINESP com senadores, chefes de gabinetes e assessorias políticas. 

Houve negociação com os assessores Flávio, Jackson, e Marcos Paulo do Gabinete do Senador Rogério Carvalho, com Iandiara, Chefe de Gabinete do Senador Alexandre Silveira, com Joelson e Jackson, assessores do Gabinete do Senador Jacques Wagner (encarregado de negociar a PEC do orçamento no Congresso Nacional), com Ginelse, Chefe de Gabinete do Senador Nelsinho Trad, com o Senador Paulo Costa, com sua Chefe de Gabinete Ana Maria e com a assessora Marianne, com Ingrid, Chefe de Gabinete do Senador Paulo Paim, com a Assessoria do Gabinete do Senador Humberto Campos e com Marcos, Chefe de Gabinete da Liderança da Minoria, Senador Jean Paul Prates.

O SINESP continua atento na defesa dos direitos dos Gestores Municipais de Educação e demais Servidores.

“A luta vai continuar até que esse tempo seja revertido e a injustiça desfeita”, afirma Norma Lucia, Presidente do SINESP.

Comentários   

# Claudia Thaumaturgo 09-12-2022 10:15
Rezo todos os dias para q essa injustiça seja desfeita pois se eu pudesse pedir meu quinquénio e 6a.parte eu estaria aposentada já a 8 meses... Simplesmente roubaram 19 meses da minha vida com minha família!
Responder | Responder com citação | Citar
# SINESP 14-12-2022 15:06
Citando Claudia Thaumaturgo:
Rezo todos os dias para q essa injustiça seja desfeita pois se eu pudesse pedir meu quinquénio e 6a.parte eu estaria aposentada já a 8 meses... Simplesmente roubaram 19 meses da minha vida com minha família!

O SINESP está muito empenhado em acabar com essa injustiça, Claudia. É mesmo uma decisão absurda.
Responder | Responder com citação | Citar
# Ana Maria dos Santos 09-12-2022 10:24
Muito injusto é preciso acabar com esta regra indecente.
Responder | Responder com citação | Citar
# SINESP 14-12-2022 15:25
Citando Ana Maria dos Santos:
Muito injusto é preciso acabar com esta regra indecente.

Exatamente, Ana Maria. O SINESP trabalha incansavelmente para reverter essa decisão absurda. Abraço.
Responder | Responder com citação | Citar
# Maria Aparecida dos Santos 10-12-2022 15:56
Parabéns ao SINESP!!!
Sempre trabalhando na conquista e permanência dos direitos da classe.
Grata
Responder | Responder com citação | Citar
# SINESP 14-12-2022 15:28
Citando Maria Aparecida dos Santos:
Parabéns ao SINESP!!!
Sempre trabalhando na conquista e permanência dos direitos da classe.
Grata

Obrigado pelo reconhecimento, Maria Aparecida. O SINESP está sempre empenhado em lutar pela manutenção dos direitos dos gestores e pela ampliação das conquistas. Abraço!
Responder | Responder com citação | Citar
# Mario Antonio Reis 12-12-2022 11:35
Por favor, não desistam. Isto trata-se de uma das maiores injustiças já sofrida pelos gestores da .Educação.
Responder | Responder com citação | Citar
# SINESP 14-12-2022 15:33
Citando Mario Antonio Reis:
Por favor, não desistam. Isto trata-se de uma das maiores injustiças já sofrida pelos gestores da .Educação.

Oi, Mario! O SINESP seguirá lutando para acabar com essa injustiça. Abraço!
Responder | Responder com citação | Citar
# CLAUDIA THAUMATURGO FERNANDES DE SOUZA 12-12-2022 11:55
Estou apenas aguardando essa revogação do tempo de trabalho para solicitar meus benefícios e me aposentar!! Não é justo com quem trabalhou duro a vida toda na educação, inclusive na pandemia. Chega a ser cruel!!
Responder | Responder com citação | Citar
# SINESP 14-12-2022 15:34
Citando CLAUDIA THAUMATURGO FERNANDES DE SOUZA:
Estou apenas aguardando essa revogação do tempo de trabalho para solicitar meus benefícios e me aposentar!! Não é justo com quem trabalhou duro a vida toda na educação, inclusive na pandemia. Chega a ser cruel!!

Muito cruel, Claudia. Por isso o SINESP reafirma o compromisso de lutar para derrubar essa decisão absurda.
Responder | Responder com citação | Citar
# Patricia Gomes Lara Rodrigues 13-12-2022 19:05
Trabalhamos durante toda a pandemia. Presencialmente, dia a dia. Atendendo o público, fornecendo cestas básicas. Incrível acontecer ia só com gestores e ATEs
Responder | Responder com citação | Citar
# SINESP 14-12-2022 15:41
Citando Patricia Gomes Lara Rodrigues:
Trabalhamos durante toda a pandemia. Presencialmente, dia a dia. Atendendo o público, fornecendo cestas básicas. Incrível acontecer ia só com gestores e ATEs

Pois é, Patricia, uma decisão muito injusta, que o SINESP luta para derrubar. Abraço.
Responder | Responder com citação | Citar
# Sueli Aparecida dos Santos Godoy 14-12-2022 14:50
Aprecio diversas atividades do SINESP, e esta é uma das mais significativas, a de ter uma assessoria cobrando os senhores/senhoras parlamentares.
Responder | Responder com citação | Citar
# SINESP 14-12-2022 15:47
Citando Sueli Aparecida dos Santos Godoy:
Aprecio diversas atividades do SINESP, e esta é uma das mais significativas, a de ter uma assessoria cobrando os senhores/senhoras parlamentares.

Oi, Sueli. Realmente é muito importante estar nas esferas do poder para fazer a voz da categoria ser ouvida. O SINESP segue na luta pelos direitos dos gestores.
Responder | Responder com citação | Citar
# Sandra 16-12-2022 14:42
Sou diretora, fiquei trabalhando sem assistente durante a pandemia, eu é uma ATE, tivemos que trabalhar todos os dias, além das demandas rotineiras, fizemos entregas de cestas básicas e ainda não ser considerado como trabalho na pandemia para contagem de quinquênio é uma grande injustiça, espero que isso seja corrigido logo.
Responder | Responder com citação | Citar
# SINESP 21-12-2022 11:36
Citando Sandra:
Sou diretora, fiquei trabalhando sem assistente durante a pandemia, eu é uma ATE, tivemos que trabalhar todos os dias, além das demandas rotineiras, fizemos entregas de cestas básicas e ainda não ser considerado como trabalho na pandemia para contagem de quinquênio é uma grande injustiça, espero que isso seja corrigido logo.

Oi, Sandra! O SINESP luta incansavelmente para reverter essa injustiça. Grande abraço!
Responder | Responder com citação | Citar

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

0
0
0
s2sdefault