Aconteceu no SINESP

Avaliação traz inúmeras falhas tecnológicas e não considera a realidade dos Territórios Educativos na pandemia

Anualmente a Prova e a Provinha SP são objeto de pauta constante do SINESP, Sindicato representante dos Gestores Educacionais. Em anos anteriores os problemas do SERAP e falta de provas foram alguns dos pontos discutidos pelo Sindicato com o Gabinete e o Núcleo de Avaliação da Secretaria Municipal de Educação. A edição 2021 traz o uso dos tabletes para a realização das provas.

Os tablets desde 2020 já são pautados pela demora na entrega, falta de manutenção, banda de dados insuficiente entre outros problemas levados em diversas instâncias além SME como o Comitê de Crise Emergencial da Educação da Câmara Municipal de São Paulo. 

As referidas provas foram disponibilizadas apenas no formato on-line, devendo ser aplicadas até o dia 17 de dezembro de 2021 com a utilização dos equipamentos da sala de informática e dos tablets pedagógicos e dos estudantes.

        Os Gestores Educacionais e suas equipes tem tido inúmeros obstáculos que vão para além da governabilidade da Unidade Educacional. Alguns deles:

  1. Momento escolhido inoportuno, em período que as Unidades Educacionais de Ensino Fundamental e Médio tem a finalização do ano, rematrículas, reuniões com a comunidade e outras marcadas pelas Diretorias Regionais de Educação, formações de COPED/DIPED, vacinação 
  2. Sobrecarga do SERAP;
  3. Muito tablets inoperantes;
  4. Dificuldades para o andamento das atividades entre elas o download das provas não é concluído; em outros equipamentos, não é possível sair da tela inicial ou ainda não se consegue efetuar o login ou sequer logar o tablet na rede administrativa;
  5. Redes de  wi fi insuficientes, sem funcionamento ou inexistentes;
  6. Módulo de servidores incompletos nas Unidades Educacionais;
  7. Avaliações tem apresentado falhas de construção dos itens: Muitas vezes não há resposta após as letras das alternativas ou sequer há alternativa, outras vezes os gráficos ou apoios visuais não são baixados e, em outras ainda, o sistema trava o avanço para questões seguintes;
  8. Mensagens em sistema como  “Você não tem provas a fazer” ou “Fora do horário de aula”.

Tem-se o agravante que os alunos no remoto tem apresentado os mesmos ou outros problemas ainda maiores.

O resultado das avaliações com este cenário trará uma distorção da rede, pelas próprias falhas apresentadas até o momento e porque os Boletins da Prova São Paulo não se mostram como soluções efetivas. Uma avaliação necessita de um planejamento que respeite os estudantes e considere o ambiente de aplicação, além das específicidades das Unidades Educacionais e seus territórios.

Sem considerar a realidade atual, não se terão elementos pedagógicos potentes que favoreçam planejamentos e ações para real retomada das aprendizagens. 

Os resultados e frequências nas Provinha e Prova São Paulo, dada a situação gerada pela própria Secretaria Municipal de Educação, não podem ser objeto de uso no cálculo do Prêmio de Desempenho Educacional - PDE. 

O ambiente de tensão gerado na rede entre Profissionais de Educação e a comunidade escolar fica nitido. O SINESP cobra solução imediata de SME para todos os apontamentos feitos pelo Sindicato e pela categoria. 

 

SINESP: Presente no dia a dia dos Gestores Educacionais 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

0
0
0
s2sdefault