Escolas ficam sem sala de informática para abrir turmas

Educação na Mídia
TIPOGRAFIA

Fonte: Agora

A gestão João Doria (PSDB) fechou salas de informática e de vídeo para abrir novas turmas na rede municipal de ensino em bairros com crianças na fila da pré-escola.

A desativação nas Emeis (Escolas Municipais de Ensino Infantil) ocorre em meio ao lançamento do programa de metas, em que o tucano se compromete a ter, até o fim de 2020, todos os alunos e professores com acesso à internet de alta velocidade.

A medida foi a alternativa encontrada pela Prefeitura de São Paulo para cumprir a emenda constitucional de 2009 que obriga Estados e municípios a terem todas as crianças na faixa entre 4 e 5 anos matriculadas no ensino infantil desde 2016.

Ao todo, a cidade tinha em dezembro, na gestão Fernando Haddad (PT), 1.269 crianças à espera de vaga em Emeis.

Os bairros da zona sul são os que mais concentram crianças na fila (1.024).

E as escolas da região foram as primeiras a terem as salas de apoio pedagógico fechadas.

Resposta

A Secretaria Municipal da Educação, da gestão Doria, disse em nota que, por causa da matrícula obrigatória de crianças entre 4 e 5 anos, "se faz necessária a retomada da utilização de espaços próprios para salas de aula, com o objetivo de garantir o atendimento aos alunos".

"A orientação é que os materiais e equipamentos disponíveis nestas salas sejam distribuídos nas salas de aula para uso contínuo de todos os alunos", disse. "Não há prejuízos", afirmou.

A gestão Fernando Haddad (PT) disse que as 1.269 crianças da fila completaram a idade mínima para o ingresso nas Emeis em dezembro.

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar