SINESP defende a mobilização contra as Reformas da Previdência Municipal e Nacional em entrevista

Aconteceu no SINESP
TIPOGRAFIA

O Presidente do SINESP, Luiz Carlos Ghilardi, concedeu entrevista ao Portal da Agência Sindical, na qual abordou o movimento de Greve dos Servidores Públicos Municipais de São Paulo, ressaltou o crescimento da resistência da categoria e a participação do SINESP no ato Nacional contra a Reforma da Previdência proposta pelo Governo Bolsonaro.

 

Veja a entrevista:

Servidores municipais mantêm greve

A Agência Sindical conversou com o presidente do Sindicato dos Especialistas de Educação do Ensino Público Municipal de São Paulo (SINESP), Luiz Carlos Ghilardi. Ele contou que através de ofício da secretária de Gestão, Malde Vilas Boas, o prefeito Bruno Covas deixou clara a intransigência com que trata o movimento. Ele segue se negando a receber a categoria.
Ghilardi informa que dia 19 (terça) os servidores voltam a se reunir, para definir os rumos da greve. “Terça, às 14 horas, realizaremos novo ato com assembleia. O movimento está crescendo por conta do endurecimento da prefeitura”, explica.

Ato 15 2 19 3Site

Segundo o dirigente, o prefeito “está fazendo pressão através da mídia, dizendo que irá cortar o ponto. Ele faz ameaças aos trabalhadores”. Mas, a resposta da categoria tem sido clara: é só revogar a reforma na previdência municipal, que impôs aumento do desconto de 11% para 14% e criou o SampaPrev, que a greve acaba.

“Vamos protocolar mais um ofício, pedindo encontro com o prefeito. Na terça, dia 19, esperamos que ele receba a comissão e abra um canal de diálogo”, ressalta Ghilardi.

Dia 20 - Luiz Carlos Ghilardi diz que os servidores estão mobilizados também para participar da Assembleia Nacional da Classe Trabalhadora, quarta (20), na Praça da Sé.

“Participaremos do ato. Apoiamos esse movimento contra a reforma da Previdência, que o governo Bolsonaro quer implantar. Ela poderá atingir nossa categoria, principalmente no quesito aposentadoria especial. Estamos esperando o texto, que será apresentado ao Congresso, para analisarmos”, destaca.

Confira também no site da Agência Sindical esta entrevista (clique aqui)

Comentários   

#2 Vera Lucia Nunes Mar 19-02-2019 16:53
Parabéns por esta intensa luta a favor dos educadores da PMSP.
Citar
#1 Angela 18-02-2019 10:51
Pelo salário dos agentes de apoio que trabalham ou trabalharam em sme e estão passando necessidades. Q
Citar

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar