Eleição presidencial exige organização e luta dos trabalhadores e seus Sindicatos

Aconteceu no SINESP
TIPOGRAFIA

111111 org lutarO Brasil acaba de passar pelo período eleitoral mais conturbado da sua história recente. Os limites toleráveis do debate político foram ultrapassados, dando lugar a atos de beligerância, violência, intolerância e morte.

Prevaleceu a retórica do ódio e da exterminação do oponente, que encontrou nas redes sociais um campo perfeito de proliferação.

O país sai dessa eleição com reduzido grau de civilidade, com prenúncio de dificuldades para o avanço democrático.

O resultado das urnas, no entanto, é sagrado e tem que ser respeitado.

Organizar e lutar!

Durante todo o conturbado processo eleitoral pelo qual passou o nosso país nessa eleição presidencial, o SINESP demonstrou firmeza e maturidade política.

Ancorado em uma sólida carta de princípios, construída em seus 26 (vinte e seis anos) de existência, o Sindicato participou ativamente desse momento histórico.

Discutiu com a sua base o impacto das redes sociais, levando como tema do Congresso da categoria “Pós verdade, fake News e outros desafios para os educadores”.

Marcou presença no ato “Mulheres contra o fascismo”, colocando-se frontalmente contrário ao rumo discriminatório que a campanha presidencial tomava.

Trouxe ao Conselho de Representantes, após o primeiro turno das eleições, um representante do DIAP, que fez análise detalhada do perfil político dos eleitos aos cargos legislativos e a nova composição de forças do congresso nacional.

Antes e depois de cada eleição, o SINESP permanece onde deve estar: na defesa dos direitos dos seus Filiados, qualquer que seja o governo. É o que almejam os educadores que o sindicato representa.

O momento, portanto, é de organizar para lutar e defender o Estado Democrático de Direito!!!

Precisaremos estar unidos e preparados para o que vier! 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar