SINESP atua no Senado Federal nas Audiências Públicas sobre a Reforma da Previdência!

Aconteceu no SINESP
TIPOGRAFIA

CDH bsb SINESP 14 08 19WhatsApp Image 2019 08 16 at 09.27.58A reforma da Previdência, aprovada na Câmara dos Deputados, já está no Senado Federal para ser debatida em novas comissões. O SINESP esteve presente em Brasília manifestando-se desde o final do recesso dos parlamentares e em diálogo com os Senadores, presente nas Comissões de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) e de Direitos Humanos (CDH), sendo citado na CDH por sua atuação contra a Reforma. 

joao bsb 19 08 19João Alberto e chefe de Gabinete do Senador Randolfe Rodrigues

Na semana de 19 a 22 de agosto,  o SINESP manteve a pressão junto dos Senadores e suas assessorias. Participou das 4 audiências públicas e reuniões da Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ), já previstas, para manifestar-se sobre a Reforma da Previdência. 

O Secretário-Geral, João Alberto Rodrigues, esteve, no dia 19/08, nos gabinetes dos Senadores Randolfe Rodrigues e Major Olímpio em busca de apoio para a categoria.

SINESPnaCCJ 21 08 19SINESP e MOSAP na CCJ em 21 de agosto de 2019Na quarta-feira e quinta-feira, 21 e 22/08, o Presidente do SINESP, Luiz Carlos Ghilardi, conseguiu acesso à audiência na CCJ sobre a Reforma da Previdência. Levou a manifestação do SINESP sobre a Reforma aos Gabinetes da Senadora Mara Gabrilli e do Senador Álvaro Dias. Também se encontrou com Maria Lucia Fatorelli, da Auditoria Cidadã, reafirmando a sua presença no 23º LuizSenad0 21 8 19Luiz Carlos e assessor parlamentar do SINESP Enrico (à esquerda) com o chefe de gabinete da Senadora Mara GabriliCongresso do SINESP em setembro, além de lideranças que atuam na defesa dos aposentados, como o Presidente do MOSAP Edison Guilherme. 

Esta ação é parte da luta permanente do SINESP, que atua nessa frente unificada com o Fórum das Entidades dos Servidores Municipais de SP e as Centrais Sindicais.

Quais os impactos da reforma para os Servidores Municipais de São Paulo?

A pressão e mobilização dos trabalhadores, em que o SINESP e os Gestores Educacionais tiveram papel fundamental na cidade de São Paulo, possibilitaram a retirada dos impactos imediatos da Reforma nos Estados e Municípios. No entanto, com o texto aprovado pela Câmara Federal, está aberta a possibilidade de que esses entes apresentem suas próprias reformas. Em São Paulo, o Prefeito Bruno Covas e a Câmara de Vereadores aprovaram o aumento da alíquota para 14% e a criação de um fundo de capitalização, o SampaPrev.

Mas o cenário, caso a PEC06/2019 seja aprovada pelo Senado, poderá ser ainda pior. Ela possibilita que em caso de déficit atuarial, os prejuízos sejam compartilhados entre todos os beneficiários do fundo de pensão. Ou seja, ativos e aposentados terão suas alíquotas ainda mais aumentadas, retirando do bolso daqueles que sempre contribuíram e continuam a contribuir.

Governo quer manter redação no Senado:

Para isso o Governo Federal pressiona que o Senado vote sem alterações o texto já aprovado na Câmara Federal, clique aqui e confira o texto na íntegra. Caso a redação da PEC 06/19 seja alterada, ela voltará para uma nova discussão e votação na Câmara dos Deputados.

O SINESP continua com sua campanha de pressão sobre os Senadores. Clique aqui e conheça o “Pressione Já!”, ferramenta que possibilita o contato com cada um dos 81 Senadores. Sua participação é importante, não deixe para depois.

Veja AQUI a tramitação da PEC 06/19 e os textos debatidos e aprovados.

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar