Centrais anunciam Greve Geral para 14 de junho no ato de 1º de Maio

Destaque
TIPOGRAFIA

1 Maio 19 Site 1A definição da data e a convocação da Greve Geral contra a proposta de re(de)forma da Previdência do governo federal foram pontos altos do ato unificado no Anhangabaú, histórico por reunir todas as Centrais e os movimentos sindical e popular. Atos unitários também foram promovidos em vários outros estados.

O SINESP é parte dessa luta para impedir a aprovação da PEC 06/19, está engajado na promoção da unidade, integrou-se a essa e demais manifestações e convoca seus filiados para estarem juntos em todos os lances da luta para barrar a re(de)forma da Previdência. É preciso derrotar essa proposta que é bem pior do que a de Temer, que já não prestava e foi rechaçada pelo povo trabalhador.

A unidade na luta é uma necessidade para promover a resistência impedir a reforma. O SINESP a promoveu e incentivou na greve de 33 dias dos Servidores Municipais contra a reforma da Previdência municipal.

E mantém sua posição no atual confronto, lembrando que a luta municipal foi suspensa em nome do engajamento na luta nacional. Por isso defende, nas reuniões no Fórum das Entidades, chamados unificados para participação nas próximas batalhas convocadas pelas Centrais, como a Greve Geral e a mobilização da educação proposta para 15 de maio.

Barrar a re(de)forma da Previdência nacional é prioridade do SINESP e dos Gestores!

1 Maio 19 Site 2Participar da mobilização nacional encaminhada pelas Centrais Sindicais, convocar os Gestores Educacionais e defender a unidade dos Servidores Municipais é prioritário para o SINESP, que se mantém firme, atento e atuante nessa luta que exige união de todos os trabalhadores para resistir à destruição do direito à aposentadoria que significa na PEC 06/19!

A PEC já aprovada na CCJ da Câmara impõe idade mínima e fim da aposentadoria por tempo de contribuição e, com isso, acaba com as perspectivas de aposentadoria para a maioria dos brasileiros. Para os Servidores Públicos e o magistério ela acaba, entre outras coisas, com a aposentadoria especial!

A PEC também quebra o tripé da Seguridade Social, põe fim à solidariedade e propõe colocar o sistema previdenciário em lei ordinária, o que permite mudanças com a aprovação de apenas a maioria simples em votação no Congresso, além de apontar para a privatização, com a proposta de capitalização.

DESVENDANDO A REFORMA DA PREVIDÊNCIA

1 Maio 19 Site 3É preciso clareza no debate acerca dessa Reforma. Por isso o SINESP produziu uma série de artigos, análises e documentos que desmontam o discurso de um suposto déficit da Previdência Nacional, entre outros engodos e mentiras disseminados pelos governos com apoio da mídia empresarial, apoiadora da reforma.

Com informações e dados de respeitados institutos e órgãos de pesquisa, como o DIAP e DIEESE, o SINESP mostra que a Reforma proposta representará o fim da Previdência Nacional.

Importante lembrar que narrativa parecida foi usada com a reforma trabalhista, mas, um ano e meio após a sua aprovação, o Brasil bate recorde de pessoas sem trabalho: mais de 13 milhões, segundo o IBGE, e o número não para de crescer.

É importante também participar do Pressione Já, que traz dados para contato com os Deputados Federais, apoiar o abaixo assinado das Centrais e preencher a enquete no Site da Câmara.

Veja TUDO AQUI.

Veja os textos da série DESVENDANDO A REFORMA DA PREVIDÊNCIA. Acompanhe e fique por dentro!

1 Maio 19 Site 5

1 Maio 19 Site 6

1 Maio 19 Site 7

1 Maio 19 Site 8

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar