Destaque
TIPOGRAFIA

Vamos relembrar a Luta Municipal

 

A força da luta coletiva e unitária garantiu negociações e a apresentação de uma proposta pelo governo Covas, que foi intransigente, truculento e apelou para atitudes antissindicais e assédio para pressionar os servidores.

O Fórum das Entidades encaminhou a suspensão da greve e continuidade da mobilização para fortalecer a luta mais difícil e importante nesse momento, que é barrar a proposta de reforma do governo Bolsonaro.

As entidades do Fórum convocam toda a categoria para o ATO UNITÁRIO do dia 22 de março, organizado pelas Centrais Sindicais contra a proposta de re(de)forma da Previdência nacional.

Ato 8 3 19 Site 1 Suspender a greve não é encerrar a luta, pelo contrário!

Foi uma decisão tática, para se recuperar do desgaste de 33 dias de greve e reforçar a luta para derrotar a proposta de re(de)forma da Previdência do governo federal – Essa é a posição das Entidades que compõem o Fórum, aprovada na assembleia unificada e ratificada na assembleia do SINESP.

Se a proposta da Reforma Nacional da Previdência, o prejuízo será enorme. Esgotar todas as baterias dos Servidores Municipais no momento em que a luta contra ela se inicia não era sensato.

A Reforma Nacional acaba com a aposentadoria especial, ao extinguir a aposentadoria por tempo de contribuição e impor idade mínima de 65 anos (homens) e 62 anos (mulheres) - 60 no caso dos regimes próprios, retirando das mulheres os 5 anos de antecipação. Também acaba com a integralidade e impõe a capitalização, sistema privado de poupança individual, entre outros malefícios!

Ato 8 3 19 Site 2 Avanços parciais

O governo Covas foi intransigente! Se indispôs a negociar, tratou a greve e os grevistas com truculência e desdém e apelou para atitudes antissindicais, para a pressão e o assédio como formas de enfrentamento aos servidores.

A negociação só ocorreu pela força coletiva, vinda da unidade do movimento desde a base até a direção reunida no Fórum das Entidades, que manteve esforço histórico por união e acordos, que precisa e deve continuar.

O resultado tem avanços. Para entender essa afirmação é preciso considerar o momento complicado politicamente para os trabalhadores e os Sindicatos, de ataques e retrocessos, ainda sob o espectro da vitória da ultradireita ma última eleição.

O mais importante agora é manter a unidade dos servidores e uni-los a todos os trabalhadores do Brasil.

O Fórum das Entidades reafirmou a unidade na luta, na ação e na estratégia e a continuidade da mobilização da categoria.  O momento exige união e luta nacional para resistir e derrotar os enormes e inúmeros ataques e ameaças vindas dos governos federal e municipal!

 Assembleia 8 3 19 Site Participantes da assembleia do SINESP realizada no dia 08 de março, que avaliou a greve e a posição do Fórum das Entidades e ratificou a decisão da assembleia unificada.

 Veja os itens da proposta aprovada nas assembleias da categoria:

Não encaminhamento de PL de aumento da alíquota previdenciária, caso a PEC da previdência nacional passe - ela tem proposta de contribuição extra de até 22%.

Continuidade da contribuição pelo atuais servidores pelo RPPS.

Continuidade dos novos servidores no IPREM - Somente quem receber salário que ultrapassar o teto do INSS entra no Sampaprev, se desejar, o que é importante para não descapitalizar o IPREM.

Garantia do pagamento das aposentadorias vinculadas ao RPPS, atuais e futuras, pelo tesouro municipal.

Abono emergencial para Agentes de Apoio e nível médio de 200 e 300 reais até reestruturação dos salários e plano de carreira.

Reestabelecimento de mesas de negociação para proposição de Projetos de reestruturação das carreiras municipais.

Reconhecimento do direito de greve e pagamento e dos dias parados em até 7 dias, diretamente em conta.

Elaboração de planos para compensação e reposição dos dias parados para todas as carreiras.

Veja AQUI o comunicado do Fórum das Entidades com a proposta mais detalhada. 

 

SINESP e Gestores foram protagonistas

O SINESP entrou de corpo e alma na luta em defesa dos direitos dos Gestores Educacionais e todos os servidores. Fez isso praticando a democracia, dando exemplo de gestão democrática.

Todos os encaminhamentos foram debatidos e decididos em assembleias da categoria. A diversidade de opiniões foi contemplada, as divergências superadas e todo o decidido foi colocado em prática.

Os Gestores interagiram com participação exemplar e histórica na greve, liderando, encorajando, dialogando e garantindo um volume surpreendente de paralisação.

O SINESP parabeniza todos os CREPs, RELTs e filiados que se juntaram aos dirigentes do Sindicato na mobilização das unidades e da comunidade, ocupando o lugar de lideranças locais, sindicais e políticas que são, fazendo a diferença na formação, na conscientização, no encorajamento e na participação dos trabalhadores da educação municipal!

Veja AQUI as ações do SINESP, seus CREPs, RELTs e filiados nas DREs e UEs, pela ampliação da greve!

AQUI os atos regionais realizados para contato e esclarecimento pelo apoio da comunidade.

AQUI a participação dos Gestores Educacionais nos atos unificados.

 

8 de março de luta

Mais uma vez as mulheres ocuparam um lugar de destaque e protagonismo na luta dos trabalhadores brasileiros.

A manifestação de 8 de março deste ano foi novamente uma arrancada na luta para barrar a proposta nefasta de re(de)forma da Previdência do Bolsonaro, e contou com a participação importante e massiva dos Servidores Municipais, que foram em caminhada da prefeitura até a Av. Paulista no clima de unidade com todos os trabalhadores brasileiros! WhatsApp Image 2019 03 08 at 18.01.26IMG 2309IMG 2357

 

Comentários   

#1 Má. de Fátima Guimar 11-03-2019 11:28
Parabéns! Nosso sindicato está cada vez mais forte e atuante. JUNTOS SOMOS FORÇA!
Citar

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

0
0
0
s2sdefault