SINESP esclarece dúvidas sobre PL 621/16 e Escola sem Partido em EMEI na Zona Norte

Aconteceu no SINESP
TIPOGRAFIA

A luta contra a retomada do PL 621/16 e contra o “Escola sem Partido” precisam do apoio de toda a categoria, e da população.

visita emeil znO SINESP esteve presente EMEI José Bonifácio de Andrada e Silva, em Santana, representado por seu Dirigente Christian Sznick. Na visita a unidade, foram apresentados a Equipe Gestora, e aos demais Profissionais de Educação, todos os riscos do PL 621/16 que modifica a Previdência do Funcionalismo Municipal, e que traz a destruição do IPREM, fragilizando a carreira do servidor público.

No caso de aprovação da reforma da previdência municipal, além dos riscos à carreira pública, a previsão é de grande prejuízo a população que é atendida pelo serviço público, sobretudo nas regiões mais periféricas e com grandes carências.

A luta contra o projeto “Escola sem Partido”, empreendida pelo SINESP em todas as instâncias, desde São Paulo até Brasília, também foi apresentada e debatida com os presentes. Importante destacar que a escola é ambiente plural, e o Movimento Escola sem Partido propõe um cerceamento da pluralidade indo contra a Gestão democrática.

Gestão democrática é princípio do SINESP.

Essa é uma questão que vem sendo debatida e construída com todos os filiados ao SINESP desde sua fundação, há mais de 26 anos. A gestão democrática norteia a educação inclusiva, e amplia os horizontes dos educandos, educadores e, sobretudo, os gestores, com a participação da comunidade na escola.

Portanto, a reforma da previdência e o projeto escola sem partido influenciam diretamente nesta questão, cerceando a participação de todos, e alimentando o discurso contrário ao fortalecimento da carreira dos gestores, e demais profissionais da educação pública municipal. Diante desses dois projetos perversos, foram debatidas na visita à EMEI formas de mobilização da Base para fortalecimento da luta do funcionalismo, e em prol de uma Educação Pública plural e de qualidade.

Comentários   

#3 Leomar Santos Machad 21-11-2018 15:49
Isso é uma vergonha, querer culpar professor pela desgraça que fazem com o pais. Incapazes.
Citar
#2 Leomar Santos Machad 21-11-2018 15:47
Querem culpar o funcionalismo público pelas as malas de dinheiro que vive para lá e para cá, que reduza o salário deles, e mais uma desde quando escola tem partido, estou a oito anos e não sei qual é o partido da minha, onde procuro saber disso pois me interessa, vai que é o mesmo que eu gosto aí ficaria bom.
Citar
#1 Leomar Santos Machad 21-11-2018 15:41
É uma tremenda vergonha, inventar partido para escola qual é o partido das escolas, gostaria de saber também, se outros setores também tem seu partido, e se deram todos sem partido, assim seria melhor.
Citar

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar