SINESP na luta participa de sessão plenária e do Colégio de Líderes na Câmara dos Vereadores

Aconteceu no SINESP
TIPOGRAFIA

CAmara 13 11 18 1Em debate os PL 68/17 (transformação dos PEIs) e 325/17 (Escola sem Partido), e o PL 621/16, nas sessões e reuniões da Câmara Municipal. 

Os dirigentes do SINESP Ana, Christian, Rosana, Egle e Maura estiveram no plenário da Câmara Municipal para acompanhar e intervir nos inúmeros debates e possíveis votações da sessão dessa terça, 13/11.

Um deles é o PL 68/17, que faz a transformação dos PEIs, o que preocupa os envolvidos por trazer incertezas, como a possibilidade de levar à terceirização da rede direta de educação infantil.

O PL 325/2014 apresenta o “Programa Escola Sem Partido” no município de São Paulo, e precisa ser combatido tanto quanto seu congênere na Câmara Federal.

A sessão foi tumultuada com diversas falas contrárias às posturas do Presidente da Câmara Municipal, que de forma impositiva desejava manobrar as votações. Nas galerias muitas manifestações de servidores publicos municipais, contra os projetos de lei em pauta e em especial contra o PL 621, em reflexo a reunião do Colégio de Lideres (veja abaixo).

Diante desse cenário as sessões ordinária e diversas extraordinárias desta terça feira e as previstas para quarta feira foram suspensas.

A Diretoria do SINESP esteve presente nesta mobilização e está constantemente na Câmara Municipal nas sessões plenárias e em todas Comissões de interesse da Educação e do funcionalismo público municipal. 

Colégio de Líderes não debateu previdência

CAmara 13 11 18 2O SINESP, com as Dirigentes Norma e Ana Dünkel, também esteve presente na reunião do Colégio de Líderes, realizada dia 13/11, na Câmara. Encerrada essa reunião, as dirigentes se uniram aos demais na sessão plenária.

A principal preocupação no Colégio de Líderes era a possibilidade da Presidência da Casa Legislativa pautar o PL 621/16 em sessão plenária.

O presidente da Câmara foi questionado por inúmeros vereadores sobre a Comissão de Estudos do PL 621/16 quanto a sua composição, prazos para sua constituição e o andamento da mesma.

Algumas Comissões da Câmara, em especial a de Educação, Cultura e Esportes, ficaram de fora da Comissão Especial de Estudos do PL 621/16. Os Sindicatos poderão fazer parte dessa Comissão, no entanto sem direito a voto.

Essa comissão de Estudos tem redução de seu prazo de 120 dias para apenas 30 dias, descumprindo compromisso tido ao final da Greve Histórica de Março de 2018.  – veja matéria AQUI sobre a tentativa do vereador e do prefeito de descumprir o compromisso assumido com os servidores no encerramento da greve, em março).

A imposição do Presidente da Câmara Municipal na composição da Comissão de Estudos, de não prever membros da Comissão de Educação, mesmo sendo a Secretaria que mais abriga servidores no município, e de não dar poder de voto aos servidores e seus Sindicatos, numa postura abertamente autoritária, não esconde suas intenções.

Diante do clima tenso durante toda a reunião do Colégio de Líderes não houve acordo entre os mesmos para a votação da pauta do dia, em especial o PL 621/16.

Mobilização é imprescindível 

A mobilização deverá ser intensa para barrar a aprovação do PL 621/16!

O SINESP organizará a categoria para a derrubada do PL 621/16 com o envolvimento da sociedade os demais servidores públicos municipais, para ampliar a mobilização!

 Gestor informado é Gestor mobilizado! Gestor, conte sempre com o SINESP, seu parceiro de lutas!

Comentários   

#1 Maria José Rodrigues 14-11-2018 10:39
Estou na luta!
Citar

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar