Globo usa novela para fazer campanha contra a carreira na educação, o concurso, a escola pública e o direito de greve

Aconteceu no SINESP
TIPOGRAFIA

O SINESP repudia a forma inaceitável como a Rede Globo se referiu à escola pública na novela O Tempo não Para, no dia 1º de setembro. Fórum das entidades sindicais porotocola nota de repúdio na sede da emissora.

RepudioA emissora fez um ataque irresponsável e descontextualizado da realidade com o intuito único de descaracterizar a importância da educação pública e o trabalho feito pela Rede Municipal de Educação de São Paulo, seus Profissionais de Educação e seus Gestores Educacionais.

Mostrou que sua dramaturgia é politizada e que seu lado é o da privatização do ensino, do fim da carreira e do concurso público.

Nesse momento pré-campanha eleitoral, num quadro instável e de futuro incerto, se posicionou a favor das propostas neoliberais de estado mínimo, privatização generalizada, destruição do serviço público, toda força ao mercado e contra o direito de greve dos trabalhadores.

Aqueles que ainda tinham dúvida do poder e da militância política da Globo, tiveram chance de entender como e em nome de que interesses ela atua.

O fato e o ataque

Uma obra de ficção tem liberdade de manifestação. Mas a Globo se aproveita do alcance de suas novelas para atuar politicamente na consciência da população. E faz isso em pleno horário em que a maioria das famílias estão chegando em casa e as crianças já terminaram o turno do ensino regular.

Dessa vez a vítima do ataque foi a Educação Pública. As personagens da novela, ao procurarem uma escola na região da Freguesia do O, são informadas que a unidade educacional está superlotada, tem falta de estrutura como mobiliário escolar, e que os educadores estão em greve. Tudo sem nenhuma contextualização ou análise real da situação, cujos dados o Retrato da Rede do SINESP expõe há mais de 10 anos (veja aqui o Retrato da Rede 2018).

A posição da atriz que faz papel de Diretora da Escola é de total rispidez e insatisfação no atendimento às personagens que buscam informação. Além de mostrar um estereotipo negativo da gestão, a cena também trouxe crítica destrutuva à carreira, ao concurso como forma de acessá-la e ao direito de greve, através de uma resposta às personagens sobre como trabalhar na educação, e dos comentários destas.

O SINESP esteve de forma ativa na greve histórica da rede municipal no presente ano e em conjunto com todos os servidores públicos municipais contra a reforma da Previdência Municipal (PL 621/16). Após o movimento, as aulas têm sido repostas após planos de reposição expostos em Conselho de Escola. Orientação que o SINESP efetuou pra seus filiados, na linha da Gestão Democrática. É inaceitável que a luta da categoria seja tratada de maneira tão rasteira por uma emissora de TV que, para estar no ar, usa uma concessão pública.

A ficção politizada da Globo também defende veladamente a educação formal familiar, que está em discussão no Congresso Nacional com o projeto que permite o homeschooling. De forma equivocada, defende a possibilidade da educação formal ser realizada nas residências, o que não atende os princípios da educação nacional.

A importância da família está em nossa Constituição, no ECA e na LDB, mas em apoio à ação da Escola. Vivenciamos programas que transferem à escola o atendimento de saúde e assistencial, ao mesmo tempo em que vemos projetos de homeschooling. Isso é claramente educação que separa ricos e pobres e desvaloriza o convívio entre as crianças como parte essencial do processo educativo.

Veja AQUI trecho do capítulo da novela com parte dos comentários acima relatados.

Confira, aqui, a nota de repúdio do fórum das entidades sindicais, enviado à rede globo de televisão.

A Rede Globo desinforma e desvaloriza a Educação Pública e a rede pública municipal com seu ataque.

O SINESP repudia esse ataque e se manifesta por imediata retratação!

E reivindica a mesma atitude de repúdio da Secretaria Municipal de Educação e da Prefeitura, com manifestação pública contra o ocorrido e pedido de retratação no mesmo espaço e horário.

Comentários   

#8 Antonio B Santos 11-09-2018 20:05
O direito a liberdade de expressão está em nossa constituição, só não se aceita seu anonimato, porque aquele que usa deste direito tem que arcar com as consequências daquilo que cria. No entanto, quando a expressão de uma opinião se apresenta equivocada em relação a uma categoria profissional e ao sistema de ensino público, é dever dos sindicatos desta categoria defendê-la da propagação desta visão errônea, principalmente porque as consequências são imprevisíveis, e é dever dos gestores dos sistemas também defendê-los. As defesas, nos dois casos, devem ser adequadas quanto a forma, o contexto e o alcance em que se apresentou a opinião errônea, evitando qualquer exagero que desmereça a crítica. Apoio o SINESP em sua iniciativa, pois o silêncio da categoria seria a concordância implícita com a opinião errônea. Não podemos deixar que visões estereotipadas da educação sejam tomadas como a realidade (diversa) das escolas em que trabalhamos todos os dias.
Citar
#7 jose oliva de santan 04-09-2018 11:33
Na verdade, estamos dando muita importñacia ao fato da novela, visto que a maioria da população que assiste novela não sabe interpretar a cena, e outra coisa , acho que está na hora de deixarmos de responder a tudo que sai na mídia, pois podemos incorrer no autoritarismo, as pessoas tem o direito de manifestar suas opiniões sobre tudo,nós educadores não somos donos da verdade sobre a" crise" da educação.A globo tem sua opiniãoe faz de tudo para incuti-la nas massas, e dificilmente consegue. As massas se emocionam com as novelas, mas racionalmente são inofensivas, não agem estão apagadas. Chega de comentários exagerados, deixemos a mídia pensar que controla o povo, mera ilusão.
Citar
#6 Rivania Kalil Duarte 03-09-2018 16:45
Muito oportuna e necessária está ação do nosso Sindicato. É preciso cobrar mesmo a retratação. A Globo boicotou nosso movimento e procurou colocar a população contra os educadores, na época da Greve. Não satisfeita, utiliza de sua Programação , no caso, a telenovela, para golpear a educação pública municipal, nossa carreira e o ensino público, tentando atingir uma das grandes conquistas democráticas, que foi o direito de greve do funcionalusmo público. O homeschooling também é outra forma de ataque. Em nada acrescenta, essa Emissora anti-povo, de informação e conteúdo para discussão desta questão polêmica. Pelo Ensino Público e Gratuito em todas as Etapas de escolarização e toda força à escola pública, que promove conhecimento, convívio, solidariedade e cidadania!!!
Citar
#5 Sylvia barin8 03-09-2018 15:37
Parabéns.sempre alerta.
Citar
#4 Sonia Ulian Alferes 03-09-2018 14:55
Nesse momento em que é importante o debate sobre a eleição e a democracia nacional, a Globo faz um desserviço à população brasileira quando se instiga o povo a descrer de suas instituições e a fomentar a revolta não esclarecendo as causas das mazelas sociais.
Citar
#3 Yara Gonçalves Piatn 03-09-2018 14:07
O descaso e o desconhecimento sobre o assunto é evidente.
Citar
#2 Aparecida Arruda 03-09-2018 11:54
Respeitem a escola pública! Tenho imenso orgulho de ter contribuído para a formação de milhares de alunos meus, pelos quais até hoje sinto carinho!
Citar
#1 Sonia M. D Hilario e 03-09-2018 11:35
Obrigado por nos representar.
Citar

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar