Em ato na Câmara, SINESP chama unidade da categoria para derrotar o PL 621/16

Destaque
TIPOGRAFIA

Ato Unificado retoma a mobilização contra o nefasto projeto de Previdência! 

 SINESP junto da categoria e de todo funcionalismo municipal!IMG_9124.JPG

A manifestação unificada para barrar a Reforma da Previdência Municipal (PL 621/16) foi realizada nessa terça, 27 de novembro, em frente à Câmara, e foi um importante passo para a união e a mobilização da categoria!

O SINESP e os demais Sindicatos e Associações que compõem o Fórum das Entidades representativas do Funcionalismo Municipal convocaram a manifestação unificada para o mesmo dia em que foi marcada reunião do Colégio de Líderes.

O objetivo foi retomar a mobilização e deixar claro aos vereadores e ao governo Bruno Covas que, se não retirarem o PL 621/16 de pauta, VAI TER LUTA!!!

Na segunda-feira, dia 26 de novembro, a Comissão de Estudos Especiais do PL 621/16 não foi instalada por falta de quórum. Não é motivo para tranquilidade, pois o Governo deseja a desarticulação dos servidores municipais para que não lutemos contra essa Reforma Nefasta.

Esse foi o primeiro ato unificado dos Sindicatos da categoria nessa luta que exige a máxima unidade para ser vitoriosa.

O SINESP reforça o chamado à participação da categoria na luta e defende a unidade de todo o funcionalismo, rumo à vitória.

fotoluiz2.jpgO Presidente do SINESP, Luiz Carlos Ghilardi, trouxe o relato da reunião do Colégio de Líderes e informou aos manifestantes que a Comissão Especial de Estudos do PL 621 deverá ser instalada durante o plenário de quarta feira, visando reunir a totalidade dos membros. Alguns vereadores, durante o Colégio de Líderes, manifestaram-se contrários à apreciação do PL 621/16 por considerarem necessário esperar a Reforma Nacional para tomar qualquer atitude.

A Vice-presidente do SINESP Maria Benedita de Castro de Andrade, a Benê, frisou aos presentes no ato o absurdo de se apreciar um projeto de Reforma da Previdência Municipal sem sequer esperar a Previdência Federal. A Dirigente denunciou que a retirada de direitos está explicita na Reforma Federal e que devemos ficar atentos e mobilizados também contra essa reforma.fotobene2.jpg

O Secretário Geral João Alberto, por sua vez, chamou a atenção dos Vereadores e destacou que os servidores públicos municipais têm a clareza do quanto o Projeto é prejudicial. O SINESP já aponta, desde o início, a incompetência de gestão do IPREM e do Governo. Informa, também, que a luta continuará e que não tem arrego. A Mobilização precisa continuar.

fotoJoao.jpgA Dirigente Sindical Ana Dunkel reafirma que os servidores têm capacidade de mobilização, de dialogar e reconstruir o movimento de combate ao PL 621/16 . 

O Dirigente Sindical Christian Sznick afirmou que a mobilização precisa ser retomada no diálogo com a comunidade nas Unidades Escolares, Unidades de Saúde, Bibliotecas e outros espaços públicos. O desmonte da carreira do funcionalismo levará a precarização dos serviços públicos da população paulistana.

O SINESP continuará a convocar seus filiados e toda a categoria para o combate ao PL 621/16.

Veja o vídeo completo do pronunciamento do SINESP durante a Mobilização desta terça feira:

 

A atuação virtual de pressão junto aos vereadores deve também ser permanente

Veja AQUI os contatos dos vereadores de São Paulo para todos os Servidores entrarem em contato e EXIGIR a retirada do PL 621/16.

Confira as fotos do ato:

IMG_9092.JPGIMG_9081.JPGfotochristian.jpgfotoAna.jpgIMG_9176.JPGIMG_9173.JPGIMG_9167.jpgIMG_9164.JPGIMG_9156.JPGIMG_9119.JPGIMG_9113.JPG

IMG_1652.jpgTentativa falha de instalação da Comissão Especial de Estudos para a Reforma da Previdência Municipal (26/novembro/2018)

 

Comentários   

#1 vera Lucia Nunes Mar 30-11-2018 19:21
Obrigada Sinesp pela luta pela educação.
Citar

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar