SME desrespeita determinação de Portaria e sobrecarrega mais as UEs

Aconteceu no SINESP
TIPOGRAFIA

SINESP denuncia, em ofício, novas exigências de trabalho burocrático nas escolas devido à campanha de vacinação.

CARTEIRA VACINACAOEm audiência do SINESP na SME, no dia 15 de agosto, com a presença do Secretário Alexandre Schneider, a sua assessoria garantiu aos Dirigentes do SINESP que as Unidades Educacionais de Educação Infantil não teriam que efetuar nenhuma digitação de dados das carteiras de vacinação no Sistema Escola On Line – EOL, procedendo apenas a recepção delas para posterior conferência dos agentes da Saúde. Isso é o que determina a Portaria Conjunta SME/SMS nº2 de 1º/08/2018, segundo entendimento do SINESP, confirmado pela SME na audiência com o Secretário. Entretanto, as Unidades Educacionais receberam e-mail das Diretorias Regionais de Educação orientando a atualização no EOL, em campo criado recentemente para os dados das carteiras de vacinação. O tempo dado às U.Es, como sempre, foi exíguo, sem considerar a falta de pessoal e a dificuldade de localizar dados de difícil visualização nas carteirinhas.

Mais uma vez é atribuída à Educação uma tarefa que não é de sua responsabilidade. Caberia aos educadores orientar a comunidade sobre a importância da vacinação, o que já vem sendo feito. Diversas Unidades Educacionais já tiveram a visita das Unidades Básicas de Saúde do Território, para o acompanhamento das carteiras, ações integradas e até mesmo vacinação nos bebês e crianças.

O SINESP não aceita que essa prática se institucionalize. É inaceitável sobrecarregar as equipes com mais trabalho burocrático, em detrimento da educação que lhe cabe oferecer aos educandos. Nesse sentido, o SINESP encaminhou ofício a SME e aguarda resposta. Confira, abaixo, o ofício encaminhado:

Ofício 168 18 vacinacao sinesp

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar