Fórum das Entidades une Servidores em grande ato para barrar a Reforma da Previdência Municipal

Destaque
TIPOGRAFIA

ASSEMBLEIA do SINESP dia 13/3 vai decidir a sequência dessa luta!

Às 17h30 no CFCL-SINESP, Praça Dom José Gaspar, 30, 3º andar

Ato 8 3 18 Site 1 

Servidores deixam claro aos vereadores: se votar, não volta!

No Dia Internacional da Mulher, um número expressivo de Servidoras e Servidores Municipais se concentraram em frente à Câmara Municipal de São Paulo para exigir dos vereadores que não coloquem em tramitação o PL 621/16, a reforma da Previdência Municipal do governo Dória.

Benê, Vice-presidente do SINESP, chamou a grande participação feminina no ato de um exemplo de luta em defesa de diretos, digno na relevância do 8 de março, e nomeou esse dia de luta de “Mulheres contra Dória”, arriscando um placar de 10 a 0 para elas. Foi aplaudida como um artilheiro num clássico futebolístico!

É exatamente isso que os Servidores precisam para impedir a tramitação da reforma do prefeito na Câmara: união e participação histórica de todas e todos!

João Alberto, Secretário Geral do SINESP, frisou que Dória desrespeita até a CONSTITUIÇÃO Federal em seu afã de confiscar o servidor! A alíquota progressiva que ele quer impor, que eleva a parcela paga pelos Servidores a até 19%, faz com que a categoria praticamente pague para trabalhar. Não é um simples PL, mas o túmulo da previdência municipal.

Não há dúvida de que só unido o funcionalismo vai barrar o PL 621/16, o aumento da alíquota previdenciária, o aparelhamento político do IPREM, a redução da contribuição do governo pela metade e outros absurdos contidos no projeto nefasto do prefeito.

Ato 8 3 18 Site 4

O Fórum das Entidades vai se reunir nos próximos dias para decidir os encaminhamentos da luta conjunta. O SINESP, como membro permanente do Fórum das entidades, aposta na unidade da categoria e fará todos os esforços necessários para que ela prevaleça acima de quaisquer divergências. É isso que o momento de ataques imensos aos direitos dos trabalhadores exige!

A ASSEMBLEIA dos Gestores Educacionais para debater os rumos dessa luta e definir a participação da categoria será realizada no dia 13/03, às 17h30 no CFCL-SINESP, Praça Dom José Gaspar, 30, 3º andar.

É muito importante a participação de todas e todos para que as análises e decisões sejam o mais forte e representativas possível.

VEJA AQUI VÍDEO DO SINESP SOBRE O PL 621/16.

Ato 8 3 18 Site 2

Ato 8 3 18 Site 3 

 

EFEITOS DA REFORMA PREVIDENCIÁRIA DE DORIA

A reforma previdenciária é parte de atitudes iniciadas no Governo Haddad, no sentido de segregar os futuros servidores, alocando-os no Sampaprev. O Governo Doria ampliou a segregação e a divisão da categoria com a proposta de ampliação da contribuição previdenciária para 14%, criação de uma faixa suplementar que vai até 5% e pode levar a alíquota a 19%, o que atinge grande parcela da Educação e sobretudo os Gestores Educacionais.

A administração, em seu projeto, não prevê nenhuma fiscalização do novo modelo previdenciário, transmitindo total insegurança ao futuro da categoria. E entrega a gestão do novo modelo previdenciário ao SPPREV, que (mal) gerencia a previdência estadual, após sucumbir com o IPESP.

O alegado déficit do IPREM foi gerado por inabilidade e pela inexistência de aporte da contribuição dos servidores (recolhida pela prefeitura, mas não repassada ao IPREM quando ele foi reestruturado em 2005). Para saldar essa dívida histórica com o funcionalismo, Dória propõe o repasse de prédios municipais ao IPREM, sem que a avaliação do valor do imóvel seja conhecida e crível. Isso pode gerar, inclusive, situações como a de Escolas deixarem de ter seus prédios como próprios municipais, mas integrantes do ativos do IPREM.

Em 2017 a Administração Municipal propagandeou que recebeu sem custos um estudo previdenciário da FIPE bancado pela FEBRABAN. O Fórum das entidades solicitará a publicização deste estudo também.

 

AÇÕES JÁ REALIZADAS ESTE ANO PELO SINESP NA LUTA EM DEFESA DA APOSENTADORIA DOS GESTORES

29 e 30 de janeiro: Panfletagem e orientação sobre a Reforma da Previdência de Temer e Doria nas reuniões de organização escolar das 13 Diretorias Regionais de Educação.

1 de fevereiro: Mobilização e visita aos Gabinetes dos Vereadores em conjunto com o Fórum das Entidades, denunciando o Projeto de Lei 621/16 que trata da Reforma Previdenciária de Doria. Neste dia a Sessão de abertura dos trabalhos legislativos teve mudança de seu caráter em virtude da forte mobilização dos servidores públicos que lotaram galerias do Plenário.

15 de fevereiro: Assembleia do SINESP reafirma a mobilização, com aprovação de assembleia permanente e participação em todos atos e demais lutas contra a reforma da previdência do funcionalismo. Neste dia o SINESP também reafirmou no Fórum das Entidades seu engajamento na unidade pela luta dos servidores municipais.

19 de fevereiro SINESP: SINESP chama um dia de paralisação e participação no gande ato realizado na Paulista, que contou com participação expressiva da categoria, mostrando ser contraria às Reformas Previdenciárias de Dória e Temer

26 de fevereiro: Junto do Fórum das Entidades, o SINESP constrói mobilização para ação na Câmara Municipal. Visitas aos Gabinetes e às comissões serão ações constantes de todas entidades do Fórum.

08 de março: O SINESP chama sua categoria, que participa em grande número da luta unificada do funcionalismo contra a Reforma Previdenciária de Doria.

 

MAIS MOBILIZAÇÃO

Um abaixo assinado já está disponível na sede do Sindicato para que a categoria registre que não deseja esta re(de)forma da Previdência Municipal - VEJA AQUI.

Uma cartilha esta sendo preparada pelo Fórum das Entidades, com assessorial do DIEESE, visando à correta informação dos Servidores. O material que a Administração Doria tem divulgado traz comparativos forçados, que colocam o servidor como culpado pela ingerência nos recursos da Previdência municipal. Vamos desmontar essa falácia!

Comentários   

#2 Maria Leonilda Ferre 22-03-2018 20:41
Não ao SAMAPREV, NÃO AO SAMPAPREV, NÃO AO SAMPAPREV, NÃO AO SAMPAREV.......................................... .................................................. .................................................. .................................................. .................................................. .................................................. .................................................. .................................................. .................................................. .................................................. .................................................. .................................................. .................................................. .................................................. .................................................. .................................................. .................................................. .................................................. ........................................
Citar
#1 Maria Leonilda Ferre 22-03-2018 20:29
Não admitimos que nossos salários sejam confiscado por esta administração que governa para a elite.
Citar

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar