AGENDA CULTURAL

Conheça seis sites para baixar livros legal e gratuitamente

LivrosLer, é sempre bom e faz bem...

Para quem gosta de ler, a internet pode apresentar algumas soluções boas e gratuitas. Existem alguns sites que disponibilizam títulos para download gratuito, e o melhor de tudo, legal.

Baixar e-books legalizados é uma maneira prática e econômica de ter sempre um livro ao seu lado seja via computador, tablet ou reader.

Confira seis desses sites e boa leitura!

Open Library

Com o objetivo de catalogar todos os livros do mundo, esse site tem mais de um milhão de obras para download grátis, em vários idiomas. Entre os livros em português é possível encontrar autores como Monteiro Lobato, José de Alencar e Machado de Assis.

Portal Domínio Público

Reúne obras em diversas línguas e mais de 2 mil livros em português, todos em domínio público.

Projeto Gutemberg

Mais de 100 mil livros em várias línguas diferentes que podem ser baixados em formatos diversos.

eBooks Brasil

Apesar do design ultrapassado, possui um acervo diversificado. Primeiro é preciso escolher o formato desejado para depois navegar pelos links das obras.

Obras raras da USP

O acervo ainda é reduzido (30 livros), mas tratam-se de edições especiais, que reúnem imagens raras.

Wikisource

É a "biblioteca" da Wikipedia e reúne livros de domínio público ou com licença "Creative Commons". Seu segmento lusófono tem mais de 27 mil títulos disponíveis, organizados por correntes literárias, país e data.

Via Galileu

 

Shows de Baiana System, Elza Soares e Siba abrem 2018

O ano em São Paulo começa com muita música boa no Sesc Pompéia.

Elza SoaresNo meio do mês, nos dias 12 e 13 de janeiro, sexta e sábado, às 21h30, a noite fica por conta do pernambucano Siba, que convida a Fuloresta para tocar junto de seu quarteto. O show marca o lançamento de “Toda vez que eu dou um passo o mundo sai do lugar” em vinil. Essa edição especial do disco traz todas as letras das músicas em uma bolacha colorida com a arte d´OSGEMEOS. O show também é na Comedoria e os ingressos custam de R$ 9 a R$ 30.

No final do mês, dias 24, 25 e 26 de janeiro, quarta e sexta, às 21h, e quinta, às 18h, é a vez de Elza Soares.  Acompanhada por dois músicos da cena eletrônica e um guitarrista, além de uma sequência de projeções de vídeo, o show é uma reunião de clássicos de carreira da artista e releituras descoladas de hits como “Computadores Fazem Arte”, “A Carne”, “Mulher do Fim do Mundo” e “Saltei de Banda”. O show acontece no teatro, e os ingressos também vão de R$ 9 a R$ 30.

Durante o mês, o Sesc Pompéia também receberá outros shows:

  • Hyldon - 5 de janeiro
  • O Sal da Terra – Homenagem a Beto Guedes - 6 e 7 de janeiro
  • Roberta Campos - 11 de janeiro
  • Paulo Neto - 12 de janeiro
  • Tutty Moreno, Rodolfo Stroeter, André Mehmari e Nailor Proveta - 13 e 14 de janeiro
  • Satellite Musique (parte do 20º Festival de Arte Contemporânea Sesc_Videobrasil) - 14 de janeiro
  • Don L - 18 de janeiro
  • Eumir Deodato - 18 e 19 de janeiro
  • Rita Beneditto - 19 e 20 de janeiro
  • Berimbau: Um Tributo a Baden Powell - 20 e 21 de janeiro
  • Walmir Borges - 26 e 27 de janeiro
  • Primavera Nos Dentes - 27 e 28 de janeiro
  • Palavra de Mulher - 31 de janeiro

Museus de São Paulo oferecem uma explosão de atividades gratuitas.

Oficinas de robótica, apresentação de filmes, brincadeiras e espetáculos fazem parte das atividades.

Museu do Futebol

De 26 de dezembro a 28 de janeiro, das 10h às 17h, o “Férias no Museu”, espaço instalado no avesso das arquibancadas do Estádio do Pacaembu destinado a brincadeiras, oficinas e atividades variadas, com mesas de pebolim, futebol de botão e ping-pong e recreadores que oferecerão dinâmicas para toda a família. O acesso ao espaço é gratuito.

Museu Afro Brasil

De 16 a 26 de janeiro, acontece no a ação “Férias no Museu: Brincadeiras do Congo”, com o educador congolês Wasawulua Daniel apresentando histórias e brincadeiras originárias da República Democrática do Congo e ensinando danças e canções em lingala e outras línguas da região. Para se inscrever, basta chegar com 15 minutos de antecedência. No dia 27 de janeiro, às 11h, o público poderá assistir à contação de histórias africanas ou afro-brasileiras “Aos Pés do Baobá”, e em seguida participar de um bate-papo conduzido por integrantes do Núcleo de Educação do Museu Afro Brasil. A atividade é gratuita e livre. As inscrições devem ser feitas pelo site.

Museu Catavento

catavento spterá muitas atividades para as crianças no mês de janeiro. Nos dias 6 e 7 e de 9 a 14, o público poderá encarar o desafio do “Escape Room Catavento”. Entre os dias 6 e 28, das 10h30 às 16h30, de hora em hora o espaço promove a “Oficina de Bolhas de Sabão Gigantes”. Nos dias 5, 6 e 7, às 13h00 e às 16h00, as famílias poderão participar do “Espetáculo de Mágicas” no auditório do museu. De 6 a 28, entre 11h00 e 16h00, o espaço oferece a “Oficina de Terrário”, em que os visitantes poderão construir seus próprios terrários. No mesmo período, das 09h30 às 15h30, acontece a atividade “Se liga no LEGO - Carrinho com Bexiga”, na qual as crianças poderão entender as três Leis de Newton e construir carrinhos que são propulsionados por uma bexiga. Também neste período, das 9h30 às 15h30, estará disponível a “Sala Maker”, onde os participantes construirão coletivamente uma máquina Rube Goldberg, experimento científico que busca executar uma tarefa simples da forma mais complexa possível, geralmente utilizando uma reação em cadeia. Entre 9 e 26 de janeiro, de terças a sextas-feiras, os visitantes poderão participar dos “Jogos Portinari”, oficina que colocará o público em contato com as obras do pintor Cândido Portinari de forma lúdica, por meio de um jogo de adivinhação. De 9 a 28, ao longo do dia, acontecem apresentações de mágicas “close-up”, realizadas próximas ao público. 

De 16 a 28 de janeiro, das 10h30 às 15h00, jovens cientistas mostrarão o que é a química com demonstrações de experimentos no espetáculo “Química em Show”. Por fim, no dia 25, das 9h30 às 15h30, de hora em hora, acontece a “Oficina de Fotografia Artesanal” com a equipe de fotógrafos do Projeto Cidade Invertida. É necessário retirar senha para participar das atividades.

Casa das Rosas

terá, em todas as sextas-feiras de janeiro, das 15h00 às 16h00, a visita temática “De mapa na mão e tempo na cabeça”, em que as crianças e seus acompanhantes percorrerão o espaço com um olhar atento ao passado e ao presente, buscando pistas e vestígios da utilização do imóvel do museu. No dia 14 de janeiro, às 15h00, acontece a “Tarde do Brincar”, atividade para crianças de até três anos de idade explorarem formas, cores, texturas e sons. Já nos dias 14 e 28 de janeiro, às 15h00, os pequenos poderão assistir à contação das histórias “As Clês Contam Pagu” e “A Ascensão de Zeus”. Também no dia 28, às 15h00, será oferecida a oficina “Bordando a Casa”, em que as crianças de seis até dez anos criarão um trabalho a partir de visita educativa com foco nos elementos florais e no jardim do museu. Para participar da contação de histórias não é necessário realizar inscrição. Para as outras atividades, a inscrição pode ser feita presencialmente ou pelo email educativo@casadasrosas.org.br.

Casa Guilherme de Almeida

promove, no dia 16 de janeiro, às 14h30, a atividade “Brinquedos que Giram”, inspirada no poema “Bailado Russo”, de Guilherme de Almeida, que incentivará as crianças e adultos a criarem brinquedos giratórios. No dia 20 de janeiro, às 14h30, em “Retratos para a Petizada”, as crianças participarão de uma observação de retratos de artistas modernistas e de um diálogo que estimulará a percepção corporal, e, após a visita, será oferecida uma oficina em que cada participante produzirá um autorretrato em tamanho real.

No subúrbio da modernidade - Di Cavalcanti 120 anos suburbio modern expo

Em homenagem aos 120 do nascimento de Di Cavalcanti, a Pinacoteca do Estado apresenta uma grande retrospectiva com obras de quase seis décadas da carreira do artista. Em cartaz até 22 de janeiro de 2018, "No subúrbio da modernidade - Di Cavalcanti 120 anos" reúne mais de 200 trabalhos pertencentes a importantes coleções brasileiras e internacionais.

A visitação acontece de quarta a segunda-feira, das 10h às 17h30, com ingressos a R$ 6 (inteira) e R$ 3 (meia). Aos sábados, a entrada é gratuita. 

Data 02 Set-22 Jan 2018

Preço(s) grátis aos sábados

Horário(s) quarta a segunda-feira, 10h às 17h30

Pinacoteca do Estado de São Paulo

Praça da Luz, 2, Centro 01120-010

Telefone (11) 3335-4990

Descubra um fantástico jardim suspenso no centro de São Paulo

aqui. 12Edifício Matarazzo, atual sede da Prefeitura de São PauloJardim na cobertura da Prefeitura de São Paulo conta com mais de 400 espécies vegetais e 3 mirantes

Quem caminha pelas ruas estreitas do centro velho de São Paulo, nem imagina que bem no coração da cidade, na sede do poder executivo municipal, um belo jardim se esconde. Da Praça Patriarca, quem ousa olhar para o alto e não para as ruas movimentadas, vislumbra um pouco do verde, o suficiente para instigar a curiosidade.

Bem ali, no Edifício Matarazzo, atual sede da Prefeitura de São Paulo, um jardim suspenso, pensado pelo próprio Matarazzo, quebra a paisagem de concreto. A visita ao jardim só é possível através da visita monitorada realizada pela SPTuris. Mas, não se preocupe, pois a visita vem bem a calhar para conhecer mais sobre a história do lugar.

Passado o momento inicial da visita, enfim chegamos à cobertura do prédio e ao tão misterioso jardim! Mais de 400 espécies vegetais, entre árvores frutíferas, pés de café, cana-de-açúcar e até mesmo um exemplar de pau-brasil aguardam os visitantes. Entre tanto verde, que até parece um bosque, ainda há três mirantes com vista para três regiões da cidade, sendo possível observar alguns pontos conhecidos de São Paulo, como o Copan, o Banespão e o Theatro Municipal. Por fim, mas não menos importante, um lago com carpas finaliza o passeio.

aqui. 13Mais de 400 espécies vegetais compõem o jardim

Orientações para visitação:

● Dias de visitação: Segunda a sábado, às 10h30, 14h30 e 16h30.

● A visitação tem duração prevista de uma hora.

● Não é necessário agendamento.

● Chegar com no mínimo 30 minutos de antecedência, na recepção do edifício.

TOULOUSE-LAUTREC no MASP com a exposição EM VERMELHO

MaspHenri de Toulouse-Lautrec (1864-1901) foi um dos artistas europeus mais importantes da virada do século 19 para o século 20, momento decisivo para a arte moderna e palco para as transformações políticas, econômicas e sociais que até hoje marcam a vida nas cidades. O MASP apresenta a mais ampla exposição dedicada ao artista no Brasil, abarcando toda a sua produção, desde os primeiros anos, na década de 1880, até o fim de sua vida, e reunindo 75 obras e 50 documentos. Toulouse-Lautrec em vermelho faz alusão ao salão de entrada de uma luxuosa maison close parisiense, que o artista frequentou nos anos 1890 e onde criou uma relação de amizade com as mulheres que ali trabalhavam. Extrapolando os interiores do salão vermelho, a exposição traz uma profusão de personagens — burgueses, boêmios, trabalhadores, dançarinas e artistas que conviviam em Paris e que fizeram parte do círculo afetivo e artístico de Toulouse-Lautrec.

Toulouse-Lautrec em vermelho se divide em cinco núcleos. O primeiro deles apresenta o mundo das maison closes — “casas fechadas”, em francês — e revela o carinho e a simpatia do pintor em relação às mulheres retratadas. As três obras centrais são apresentadas num painel vermelho, evocando o famoso salão de entrada da maison La Fleur Blanche [A Flor Branca], em Paris. O segundo núcleo da exposição reúne outras representações de mulheres — algo a que Toulouse-Lautrec dedicou especial atenção —, reunindo lavadeiras, modelos de ateliê, burguesas e nobres, e assim evidenciando ou questionando seu papel social. O terceiro núcleo da exposição é dedicado a retratos masculinos. Ao contrário do que ocorre nas representações femininas, conhecemos os nomes de todos os homens na pinturas de Toulouse-Lautrec incluídas na exposição, um sintoma eloquente da discriminação entre homens e mulheres e do papel que cada um exerce na sociedade, na história e na cultura visual. Finalmente, o quarto e o quinto núcleos trazem representações da vida noturna, com seus cabarés, bares, restaurantes e casas de espetáculo que proliferaram em Paris depois que a cidade começou a ser iluminada pela luz elétrica. Aqui vemos diversos personagens, como os trabalhadores que à noite frequentavam o Moulin de la Galette e tentavam esquecer a dura jornada de trabalho, a célebre dançarina Jane Avril (1868-1943) ou o debochado dono de cabaré Aristide Bruant (1851-1925), imortalizados em grandes cartazes que anunciavam seus espetáculos e que acabaram por marcar profundamente a paisagem urbana. Toulouse-Lautrec em vermelho apresenta também uma seleção de 50 documentos, entre cartas, bilhetes, telegramas e fotografias do artista e de seu círculo, que constituem uma memória viva daquela época.

Num contexto mais amplo das histórias da sexualidade e das representações de gênero, a exposição de Toulouse-Lautrec dialoga com as mostras de Teresinha Soares, Wanda Pimentel, Miguel Rio Branco e Tracey Moffatt. Num segundo momento, se relacionará com as de Pedro Correia de Araújo em agosto, Guerrilla Girls em setembro e, em outubro, com a coletiva Histórias da sexualidade.

Veja AQUI a galeria de imagens da exposição.

MIS exibe quase mil objetos de Renato Russo em mostra nostálgica

Renato Russo Reproducao Cinthia Bueno MIS Credito Marcos Prado Azul Press Acervo Renato Russo

Uma das exposições mais aguardadas do ano, "Renato Russo", chega oficialmente ao Museu da Imagem e do Som, na quinta-feira, 7 de setembro. A mostra presta homenagem ao ícone da música brasileira e apresenta cerca de mil itens pessoais do artista.

Após um convite de Giuliano Manfredini, único filho de Renato, o MIS teve acesso ao apartamento do músico, no Rio de Janeiro, onde viveu entre 1990 a 1996. A partir desse encontro nostálgico, o museu convida a legião de fãs de Russo a viajar por seu universo e conhecer bem de pertinho pedaços da vida do ídolo.

"Renato Russo" recebe visitações até 28 de janeiro de 2018, de terça a sábado, das 10h às 21h, e aos domingos e feriados, das 9h às 19h. Os ingressos antecipados estão à venda pela internet e custam R$ 15 (meia-entrada) e R$30 (inteira). Aos domingos e feriados, os convites são vendidos somente na bilheteria, a R$ 6 (meia-entrada) e R$ 12 (inteira). Nas terças-feiras, a entrada é Catraca Livre.

Entre os itens em exposição, estão peças de vestuário, fotografias, discos, livros, manuscritos, instrumentos musicais, documentos escolares, desenhos, cartas de fãs, prêmios, fanzines, folhetos e impressos.

Além de grande letrista, Renato Russo também produziu desenhos, pinturas, peças de teatro e projetos cinematográficos. Particularidades como suas coleções de anjos e de baralhos de tarô também estão na mostra para delírio do público.  

Museu de Anatomia na USP exibe a complexidade do corpo humano

Museu de Anatomia

O museu conta com cerca de mil itens expostos, que vão de membros e órgãos, até cadáveres. Além de possuir uma biblioteca com aproximadamente dois mil volumes. Em seu acervo estão peças anatômicas preparadas e conservadas por diversos métodos e separadas de acordo com os sistemas e aparelhos que compõem o corpo humano.

Um dos grandes destaques do museu fica para sua biblioteca que conta com obras originais raras, como os livros “De Humani Corporis Fabrica”, escrito por Adreas Versalius em 1543, e “Opera Omnia”, escrito por Regnier de Graaf em 1678. Por conta da deterioração, as obras não estão expostas ao público, disponíveis apenas para pesquisas específicas.

Outra parte do acervo que também chama a atenção são as coleções de crânios, que conta com 500 peças de indivíduos jovens e adultos de ambos os sexos, e a de 83 fetos com diversas anomalias. O museu também mantém um espaço fixo batizado de Cápsula Bovero, que reproduz parte do escritório do anatomista e onde está instalada uma das mesas de mármore que ele utilizava em suas aulas e dissecções.

Mais de um século de história

O acervo do museu começou a ser formado em 1914 pelo professor Alfonso Bovero, sendo que o local passou a receber visitantes somente em 1960 na Faculdade de Medicina da USP. Em 1997, foi transferido para o Instituto de Ciências Biomédicas, quando alcançou o expressivo número de 1.800 peças expostas e uma biblioteca com aproximadamente dois mil volumes.

Em 2014 ele foi fechado para reforma e, desde então, passou por uma reformulação até ser reinaugurado em maio deste ano. O novo museu foi pensado e organizado pelo biólogo e anatomista Edson Aparecido Liberti, além de ter contado com a assessoria de profissionais da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da USP para conceber o design do espaço.

Local: Museu de Anatomia Humana Professor Alfonso Bovero

Av. Prof. Lineu Prestes, 2415 - Butantã, São Paulo - SP, 05508-000

 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar