Dirigentes e Conselheiros do SINESP vão às DREs apresentar problemas e debater soluções

Destaque
TIPOGRAFIA

Os representantes do SINESP estão se reunindo com os Dirigentes Regionais e suas equipes para apresentar os problemas levantados nas reuniões realizadas em todas as DREs com os Representantes dos Locais de Trabalho, nos meses de fevereiro e março. 

Essa mobilização ocorre após jornada por toda a cidade, para eleição dos Conselheiros 2018 do SINESP e tem o objetivo de levar demandas da categoria e das UEs colhidas junto aos Gestores Educacionais, na busca de soluções.

Nas reuniões regionalizadas, além de eleger os Conselheiros do Sindicato e realizar a pesquisa para o Retrato da Rede deste ano, houve espaço para relatos e troca de informações com os Representantes dos Locais de Trabalho sobre problemas, demandas e necessidades das unidades escolares.

A Diretoria do SINESP registra, organiza e elenca os temas apontados pelos Representantes para debatê-los com os Dirigentes Regionais, o que está sendo feito agora.

O SINESP já esteve em todas às DREs.

Os principais temas abordados são:

Demanda, Verbas, Falta de material, Módulos incompleto, Inclusão, TEG, Terceirizadas, Uniformes, Formação, Calendário, Atendimento aos gestores, Falta de material, Violência, Manutenção de prédios e falta de equipamentos, Demora no cadastro de títulos, ISEM 2018. 

Como sempre, não há resposta satisfatória para a maioria das questões, mas já houve Devolutivas importantes:

 

DRE Campo Limpo

O SINESP foi representado pelos dirigentes Benê, Egle e Christian e pelas Conselheiros Jerry, Fábio Bottas, Flordelice, Luciene e Socorro

DRE CL 16 05 18llReunião na DRE Campo Limpo1. Educação Inclusiva:

CEFAI tem hoje 11 PAAI e 2 vagas em aberto;

2193 Crianças especiais matriculadas nas unidades da DRE CL;

50 alunos surdos no Polo Bilíngue, número Insuficiente de estagiários e demora na recolocação ao término do contrato;

319 estagiários do “Aprender sem Limites”.

209 estagiários para o Parceiros da aprendizagem” (primeiros anos);

90 Salas de recursos das quais 70 estão funcionando e duas designações estão sendo aguardadas. As demais não tem professores habilitados;

Curso de especialização específica será aberto no segundo semestre de acordo com a expectativa da DRE;

647 alunos atendidos em salas de recursos e duas parcerias com 80 vagas;

Recesso dos estagiários coincide com o do período letivo dos alunos. CEFAI informa que foi organizado o recesso pra ser fora do período letivo;

Faculdades tem demorado para assinar os termos de estágio, necessário para início da atuação nas Unidades Educacionais;

Pais têm ido ao Ministério Público solicitar estagiários exclusivos para seus filhos e CEFAI coloca a necessidade de uma discussão do real trabalho do estagiário;

Transferências de escolas do entorno para outras da mesma rede;

DRE CL 16 05 18lCEFAI documentou e levantou dados e registros de famílias que apontam o não atendimento de alunos especiais na rede Estadual;

Todos os alunos especiais de EMEI foram distribuídos para escolas da rede municipal, porém o sistema na rodada encaminhou para rede Estadual o que resultou em novas demandas de transferência;

Auxiliares de vida escolar insuficientes (68 em EMEF, 31 em EMEI, 2 em CEMEI e 2 CIEJA). AVEs estão sendo compartilhados em algumas unidades;

Necessidade de mais 15 AVEs;

CEFAI tem feito formação específica para o quadro de apoio em unidades com alunos especiais;

Esclarecido que organização de horário dos AVEs é feita pela Gestão da Unidade Educacional;

CEFAI fará formação que iniciará nas próximas semanas para professores e gestores;

2. Demanda:

Tem sido mantida a distribuição de 60% pra rede Estadual e 40% da rede municipal da demanda do Ensino Fundamental;

A demanda da educação infantil está em estudo para 2019 e em seguida será feito o planejamento do fundamental;

Realizados ajustes no início do ano devido a falhas do sistema Estadual de matrículas.

3. Módulo:

Faltam 243 ATEs em Campo Limpo;

Todas as unidades tem auxiliares técnicos de Educação, porém com o módulo incompleto;

17 agrupamentos sem professor em CEI;

Existem professores desde março ainda retidos em COGESS;

Necessidade da implementação do artigo da 14660/07 que trata da Gratificação em local de trabalho.

4. Informática:

Todas as EMEFs receberam computadores, porém tem sido adiado o prazo de instalações. Informações Gerenciais reagendará as instalações;

Expectativa de novos equipamentos administrativos para Educação Infantil;

Contrato atual de manutenção é emergencial e não atende a todos os equipamentos;

SGP está com problemas de funcionamento o que causou impacto no fechamento do bimestre. Encerrado contrato de manutenção do SGP;

Problemas também no SGP de EJA. Escolas estão sendo chamadas na DRE para busca de novos caminhos;

Previsto novo contrato de manutenção.

5. TEG:

Desencontro de informações do TEG no início do ano;

Barreiras físicas têm sido tratadas por comissão de setores da DRE junto com liderança do bairro;

7.523 crianças são transportadas no TEG.

6. Relacionamento com a DRE:

Relatos de setores com atendimentos divergentes em fevereiro. Já solucionado. Diretora Regional orientou os setores e as informações quando relativas a setores diferentes tem sido enviadas pelos Diretores de Divisão;

Sobre as Fake News: SME tem solicitado ações que resultam em Processos administrativos sem autoria das questões, impactando administrativamente nas unidades;

Uso de redes sociais de forma ponderada evolvendo os gestores educacionais.

7. Verbas, Reformas e DL:

5 Unidades Educacionais que tinham interdição ou prejuízo no atendimento foram contempladas;

Atendimentos via dispensa de licitação;

Adiantamento bancário tem sido concedido todos os meses (CEI 1000,00, EMEI 1100,00 e EMEF 1500,00). Unidades que necessitam tem suplementação.

8. Formação:

Muitos professores em formação com dispensa, porém sem substitutos para garantir o trabalho na unidade devido ao quadro reduzido;

Necessidade de maior número de cursos que busquem atendimento a todos os profissionais de educação;

Número reduzido de formadores do DIPED;

Tempo hábil para os Coordenadores poderem acompanhar a formação do Currículo;

9. Materiais e Lavanderia dos CEI:

Enxoval (lençol, cobertor, babador) em processo de licitação por SME;

Material de consumo pra as unidades disponível em almoxarifado;

Lavanderia aguarda processo de terceirização de SME;

10. Retrato da Rede:

O maior impacto está na Gestão de Pessoas (falta dos profissionais), Saúde (gestores trabalhando doentes ou afastados).

 

DRE Capela do Socorro

O SINESP foi representado pelos dirigentes Benê, Egle, Letícia, Christian e pelas Conselheiras Fátima, Mardonia, Edinete, Alcina e Antônio.

DRE CS 15 05 18Reunião na DRE Capela do Socorro1. Formação:

Coordenadores Pedagógicos das EMEIs não estão no GT voltado ao debate com Assessores de SME para configuração do Currículo da Cidade;

DIPED se coloca com relação à proporcionalidade e composição da DRE Capela para partiicpação no GT, que não tinha CP para EMEIs, composição já veio fechada por DIEI de SME;

Formações pra Educação Infantil sobre o Currículo virão em 2019;

DIPED informa que a discussão do novo Currículo baseia-se na BNCC e documentos da rede, de modo que não há intenção de antecipar a alfabetização;

Documento construído no GT virá para Rede no segundo semestre para que sejam feitos os apontamentos;

SIESP apontou a formação insuficiente; a baixa oferta de cursos pela DRE Capela do Socorro perante as demais DREs; e a necessidade de cursos voltados para os Coordenadores Pedagógicos;

Regional aponta que existiram muitas formações, porém sem qualidade, não atendendo a real necessidade dos cargos; Orçamento da DRE é insuficiente para iniciativas de Formação;

Expectativa de maior escuta das necessidades das escolas; Cursos optativos no segundo semestre de 2018;

DIPED e DICEU focaram em 2017 no trabalho em 10 escolas com médias nas avaliações externas mais baixas; Formações do PNAIC reduzida em 2017;

Ausência de formação para professores de CEI.

Novas determinações em SME pra oferta de formações; Setores de verbas, movimentações, demandas e bens ofertaram reuniões formativas em 2018;

Pedido de formação na DRE igual à oferecida pelo SINESP com o curso “Pra Começo de Conversa”;

Relação da DRE com as Unidades Educacionais: Apontada necessidade de reuniões dos Gestores Educacionais com o Regional - Diretor admite que este ano ainda não foram realizadas.

2. Modulo:

Quadro das equipes gestoras ainda incompleto; DRE aguarda nomeação de Professores de Educação Infantil e não tem designado PEI para outros cargos;

Falta dos regentes de EMEI e EMEF me módulos;

Substituição de contratos dos professores de Ensino Fundamental II e Médio pelos chamados do concurso;

Falta de efetivos (4 Supervisores, 22 Diretores, 68 CPs e 67 ATEs); Quantidade de ATEs nas Unidades não comportam a necessidade; Demora na liberação dos PEI em perícias médicas;

3. Educação Inclusiva:

Atendimento insuficiente à educação especial (Capela do Socorro tem 1192 crianças especiais cadastradas, 297 estagiários para aprender sem limites e em torno de 60 Auxiliares de Vida Escolar);

CEFAI tem atualmente 6 PAAI e pode ter mais 6; Falta de anuência para novas designações;

Problemas na atribuição de Salas e Recursos para ampliar o atendimento por falta de profissionais habilitados;

DRE relata que Ministério Público tem transferido alunos especiais para unidades da Rede Municipal;

Ampliação de módulos de atendimento;

SINESP relata que em 2014 havia promessa de ampliação de AVE. O quadro de AVE tem atendido às necessidades segundo a DRE. Casos de licenças e substituição estão sendo vistas com a SPDM;

Número de estagiários ainda está insuficiente;

Regional relata necessidade de se rever estrutura da Rede para possibilitar atendimento em classes hospitalares e domiciliar;

NAAPA tem atualmente duas psicopedagogas e um psicólogo;

Necessidade da formação e atuação da Rede de Proteção Social; Relatados problemas em alguns equipamentos da rede de proteção.

4. Informática

Todas EMEF receberão os equipamentos previstos;

Regional informa que tem tido seminários sobre vivências nos laboratórios;

Troca de redes com ingresso de fibra ótica para algumas Unidades Educacionais;

A Supervisão Escolar tem apenas 8 estações para todos, estando algumas avariadas e paradas, o que impacta a concretização de demandas; equipamentos de todos setores da DRE tem tido esta problemática;

Problema no SGP, sobretudo devido à rede de internet; Regional apresentou que SME tem prorrogado a previsão para solução dos problemas;

EJA, em virtude do final de contrato com o SGP, voltou para o diário de classe em papel; PRODAM está cuidando do sistema após o final do contrato.

5. Plano Regional de Educação e Indicadores

Importância no Plano Regional em maio dos territórios incluírem as suas necessidades;

Necessidade de haverem devolutivas dos problemas apontadas nos Indicadores de Qualidade da Educação Infantil, sob risco de ser desacreditado;

DRE admite que a Unidade Educacional tem melhorado sua atuação, mas não tem retorno nas demais fases.

6. Material

Apontada a falta de luvas e outros materiais para os Centros de Educação Infantil;

Capela do Socorro realizou uma previsão de compras e tem sido feitas compras trimestrais;

Falta de Colchonete: compra tem sido feita desde o ano passado respeitando o orçamento;

Falta de materiais para EMEI: DRE informa existir restrição de dotação orçamentária imposta por SME e congelamento de verba por JOF;

Mobiliário: foram entregues 1200 conjuntos de carteiras; Refeitório, mesas e cadeiras para professores estão para receber dos pedidos em 2017.

7. Verbas

O congelamento de recursos em JOF levou as EMEI a não terem tido o adiantamento bancário em abril;

Há contingenciamento de recursos por parte da Prefeitura de SP;

Distribuição dos valores do adiantamento bancário tem sido feito pelo número de alunos e não por mobilidade;

Feita reunião de formação para uso do adiantamento bancário e dos recursos financeiros.

8. Demanda e TEG

Foram feitas reconsiderações da barreira física para o TEG; Chegaram a se ter 500 transportadores; 13 mil crianças atendidas pelo TEG;

DRE efetuou solicitação a CET de melhorias no viário, como faixas de pedestres.;

A Educação de Jovens e Adultos tem tido redução de alunos, fechando salas;

DRE aponta questão de frequência em algumas unidades;

DRE, em 2018, está fazendo acompanhamento de DIPED com Coordenadores Pedagógicos que atuam na EJA;

Necessidade de formação sobre Vida Escolar;

DRE buscará apresentar proposta de CIEJA no Grajaú.

9. Prédios e Equipamentos

Questões de prédios adaptados, improvisados, alugados e inadequados;

DRE relata falta de áreas para novos prédios; há EMEI em galpão e em sobreloja.

Foram construídas 4 unidades novas;

Colocada questões de CEI recebendo efluentes domésticos irregulares; DRE encaminhará engenheiro para acompanhar situação.;

DRE tem feito ações de orientação de zeladoria dos prédios das Unidades Educacionais como manutenções e suas rotinas.;

Reformas contemplaram duas unidades por Prefeitura Regional.

10. Retrato da Rede

A gestão de pessoas foi o indicador de maior queda e apontamento em Capela do Socorro; a falta de profissionais nas unidades educacionais foi o item que mais impactou neste item;

O Diretor Regional apontou ainda que a DRE mantém expediente das 7 às 19h00 e o Gabinete até as 21:00.

 

DRE Freguesia do Ó/Brasilândia

O SINESP foi representado pelos dirigentes Luiz Carlos e Christian e pelas Conselheiras Katia, Roberta, Miriam, Simone e Marcilene.

DRE FO 10 05 18 lReunião na DRE Freguesia do Ó / Brasilândia1. Módulo: Vencimento dos contratos para o Fundamental II em julho, alguns em regência; Expectativa da Regional com a posse dos chamados em concurso; Relatos da perícia em COGESS; Auxiliares Técnicos de Educação acessaram como professor e impactaram no quadro de apoio; Módulo insuficiente e sem possibilidade de substituição no caso de licenças e readaptações; Agentes Escolares em vacância.

2. Inclusão: Estagiários do programa “Aprender sem limites”; Não houve revisão do módulo de 67 Auxiliares de Vida Escolar considerando a Educação Infantil (EMEI) como fase obrigatória, apesar da solicitação da regional em SME; Setor do CEFAI informou que SME fará aumento do módulo de AVE, mas sem previsão de data e quantidade; APAE tem orientado famílias a exigirem AVE pra os alunos; Solicitada ação da DRE para instalações de trocadores nas EMEIs e EMEFs com estudo do Setor de Prédios para viabilizar solução via SME; Escolas não tem acessibilidade aprovadas por EDIF; 297 Estagiários do programa “Parceiros da Aprendizagem” contemplando todos primeiros anos.

3. Vigilância: Ampliação do adiantamento bancário para escolas que passarem por assaltos; DRE tem buscado adesão ao DEAC da Guarda Civil Metropolitana; Contrato de vigilância para Educação Infantil vinda de SME; Necessidade de diálogo com as comunidades.

4. Adiantamento Bancário, Reformas e Dispensa de Licitação: Regularidade no repasse do adiantamento bancário (Educação Infantil 1000,00 e EMEF 1500,00); Dispensa de Licitação teve pela DRE pedido de 3 para EMEF, 2 para EMEI e 1 para CEI, e SME liberou o equivalente a uma para cada Unidade Educacional de acordo com as necessidades e a caracterização das emergências; 7 reformas via Ata a serem iniciadas; Emergências que entraram devido à não comportar via ATA.

5. Alimentação Escolar: Alimentos têm sido servidos sem adequação (falta de aderência). Pedido para que a Cogestora veja esta adequação.

6. Uniforme: Entrega fracionada dos Uniformes ainda permanece.

7. Material e Contratos lavanderias: DRE aderiu ata de SME para CEI, porém quantitativo baixo impacta nas Unidades; Necessidade da DRE é acima do previsto na ata existente de SME; Cálculos para posicionar SME na elaboração da ata de compra centralizada estão sendo refeitos; Realização em curto prazo do pregão; Abertura de ata para Luva, lenços umedecidos e Lençóis de pano; Contratos de terceirização das lavanderias.

DRE FO 10 05 18 ll8. Ônibus: Depende da Ata com o quantitativo definido por SME e maior parte são voltados aos programas de DICEU (visão do futuro, campeonatos); Ata antiga que vem sendo aditada não corresponde às necessidades da DRE.

9. Demanda de CEI Polo e Rede Parceira: 180 unidades parceiras (conveniadas) pra 17 unidades da rede direta (CEI); Demanda de Minigrupo II atualmente atendida; Setor de demanda fazendo estudos do impacto do CEI para EMEI e de EMEI pra EMEF solicitado por SME que deverá ser entregue até 11/5; DRE tem problema na localização das vagas e CEI parceiros com atendimento de Infantil I; Obra do CEU Freguesia paralisada e apenas um CEI em obras.

10. Informática: Novo contrato de manutenção tem gerado reclamações; Diretora Regional confiante na mudança do parque tecnológico; Novos computadores da EMEF chegaram e estão sendo instalados; Supervisão Escolar tem equipamentos aguardando manutenção; Internet da DRE tem apresentado muita lentidão.

11. Atendimento Banco do Brasil: Relatada dificuldades no atendimento do Banco do Brasil; Falta de urbanidade em diversas unidades; Longas horas de espera; Cobranças de taxas indevidas na conta do PDDE; DRE não está no projeto piloto do uso dos cartões pra o PTRF.

12. Gestão de Pessoas: Solicitadas reuniões da Diretora Regional com o conjunto dos Diretores; Diretora coloca a dificuldade de nomeação em DIAF e a possibilidade de ver estas reuniões; Falta de apoio de setores da DRE; Bens e Informática Gerencial; Início de 2017 com mais de 4.300 processos de incorporações de bens parados e fora do sistema eletrônico; Saída recente da responsável pelo setor.

13. Retrato da Rede: Maior impacto no índice de Saúde, que engloba a questão dos afastamentos e o trabalhar adoentado além da violência; Capacitação necessária para os gestores educacionais com foco pedagógico e em práticas administrativas. DIPED tem realizado formações pra os Coordenadores desde o ano passado.

 

DRE Jaçanã/Tremembé

O SINESP foi representado pelos dirigentes Rinaldo, Rui e Janete, Rosana e Christian e pelos Conselheiros Adriano, Rui Lima, Andreia e Daniel.

DRE JT 09 05 18 IReunião na DRE Jaçanã/Tremembé1. Evolução Funcional: Processos ficam na DRE por 20 dias; Ampliação da equipe proporcionou o envio de 536 processos para COGEP estando 20 em análise e 40 para serem analisados.

2. TEG: Busca de condutores cadastrados em outras DREs ou ainda novos cadastrados no DTP. Proposta da atual legislação que coloca que o condutor pode optar em atender ou não o aluno; Pendências de atendimento do TEG; Pedidos feito junto a Prefeitura para melhoria de acessibilidade.

3. Informática: Laboratórios de informática de EMEI sem condições de uso; Atendimento para manutenção adequada. Burocracias devido a não realização de atendimentos remotos. Instalação de novas máquinas recebidas para os laboratórios de informática das EMEFs; Assaltos das máquinas novas em unidades da DRE; Educação Infantil receberá novas máquinas futuramente; Setor de Informática da DRE tem prestado suporte até mesmo com empréstimo de suite.

4. Modulo: DRE aguarda as chamadas; Realização de duas atribuições periódicas semanais para amenizar o problema das escolas; Banco de Dados de Professores de Educação Infantil interessados em fazer HTE; Redução do quadro de módulo por unidade impactam nas substituições eventuais e longas nas escolas; DRE informa que COGESS faz ações de verificação dos laudos médicos temporários; Não existem unidades educacionais com quadro zerado de ATE, porém tem o quadro de apoio fragilizado com a vacância dos Agentes Escolares e quadro de apoio reduzido.

5. Lavanderia: SME estuda a terceirização nos CEIs.

DRE JT 09 05 18 Il6. Estagiários: Limite para Parceiros da Aprendizagem; 160 vagas para o “Aprender sem limites” (estagiário CEFAI) sendo 11 atualmente em contratação; AVE sendo visto conforme a lei e apoio do CEFAI.

6. Demanda: Problemas de matrículas envolvendo EMEI e demanda de alunos residentes na região da DRE Penha; Impacto na questão da acessibilidade; Questionamento referente à reunião com Unidades Educacionais sobre a projeção 2018, tendo ação unilateral do setor de Demanda. Regional coloca a problemática existente no acerto com o Estado; Expectativa de que em 2018 ocorram menos turbulências; Sistema SED estava com problema de validação nas laudas dos alunos concluintes do fundamental e médio no início de 2018.

7. Poda de árvores e limpeza: Demora da realização da poda; DRE tem contrato de poda segundo a Regional; busca por ações conjuntas com as Prefeituras Regionais priorizando as unidades de Educação Infantil que tem grandes áreas verdes; diferenciação nos contratos que fazem ou não a coleta da poda; Contratos de limpeza tem diferenciação quanto a limpeza de grelhas.

8. Adiantamento Bancário: DRE previu pra os 10 meses o adiantamento bancário, porém em abril o congelamento de verbas impediu o repasse dos valores; Valores são de 1000 para Educação Infantil e 1500 para Ensino Fundamental, Médio, EMEBS.

9. Pintura das Unidades: Falta de recursos para pintura das escolas.

10. Atitude antissindical no período da Greve: DRE ao longo da Greve encaminhou demandas para as Unidades Educacionais.

11. Retrato da Rede: Gestão de Pessoas impactou na avaliação da DRE quanto ao atendimento das demandas das Unidades Educacionais; Posicionamento de afastamento em relação às unidades como o caso da Demanda Escolar; Avaliação da DRE feita pelos Gestores Educacionais no final de 2017 apontou justamente este ponto a ser resolvido. Realização de reuniões nos setores e seminário interno visando sanar os problemas do padrão de atendimento.

 

DRE Penha

O SINESP foi representado pelos dirigentes Benê, Christian e Norma Lúcia e pelos Conselheiros Mari Lucia, Valéria, Selma, Douglas, Marilene, Edina, Danielle e Meire.

DRE Penha 04 05 18IIReunião na DRE Penha 1. Solicitado que seja levada demanda de realização de estudo sobre os requisitos da avaliação em SME dentro do CME.

2. Demanda: aumento de demanda de CEI sem adequação de mobiliário e materiais necessários; Problemas pontuais no ano de 2017 quanto necessidade de salas abertas; Projeções realizadas sem reuniões prévias impactaram na formação de turmas do ano de 2018 em algumas unidades; Problemas na alocação de alunos de 1 ano no início de 2018; Falta de devolutiva de SME quanto aos problemas de sistema. Falhas no georeferenciamento gerou problemas de endereço de alunos da Educação Infantil; Falta de acesso da Educação Infantil ao sistema do Estado para possibilitar consulta e informação da migração de alunos da Ed Infantil para o Fundamental.

3. Reformas e construções: recebimento de indicativo das reformas para 48 escolas; Retomada das obras no CEU Carrão e na região do Imperador. Problemas de prédios antigos e novos quanto a questões estruturais.

4. Material: Falta ou mobiliário inadequado na Educação Infantil para atendimento das crianças e profissionais de educação; Compra e entrega de colchonetes; Quantidade insuficiente de itens para higiene e cuidado das crianças.

5. Inclusão: aumento e envio de estagiários e AVEs por SME; Demanda não tem sido atendida na Penha; Falta de provimento dos PAAI e quadro insuficiente do CEFAI para atendimento das Unidades Educacionais. Revisão do módulo de servidores da DRE; Atendimento dos CEIs de acordo com a demanda; Instalação de trocadores para crianças especiais na Educação Infantil e no Ensino Fundamental; Não atendimento da solicitação de compra dos matérias de higienização para crianças especiais;

DRE Penha 04 05 186. Módulo de servidores: Falta de docentes nas Unidades tem deixado a equipe gestora também incompleta; Falta de professores presos em perícias médicas; Falta de módulos e necessidade de redistribuição de turmas impactam na organização das unidades; Falta de docentes pra assumir salas de fundamental I (artes, geografia, inglês) Contratos estão vencendo; Revisão de módulos de professores e auxiliares técnicos de educação; Divergência nas orientações quanto ao desligamento de jornada e acúmulos; Possibilidade de estagiários no primeiro ano do Fund. I na DRE Penha. Falta de auxiliares técnicos de educação no quadro de apoio das unidades; Afastamento de ATEs por licença e laudo médico temporário.

7. Adiantamento: EMEI /CEI 1000 e EMEF 12000. As EMEIs não receberam o adiantamento no mês de março e em abril não receberam a quantia retroativa na íntegra.

8. Contratos: revisão do módulo de postos de serviço nas cozinhas terceirizadas; Contratação de volantes por meio período; Contrato de poda e corte do mato e retirada de resíduos da poda; Não atendimento da DRE quanto à autorização da prefeitura para poda de árvores em algumas escolas.

9. DRE e gestores: reunião de escuta; Calendário escolar e suspensões de atividades; Conselho participativo de orçamento para DRE; Publicização das questões e orçamentos previsto pelo Plano Regional de Educação; Devolutivas de demandas dos indicadores de qualidade da Educação Infantil; Indicação de que SME institua índices dos resultados dos indicadores como consta no Retrato da Rede do SINESP; Ofertas permanentes de formação voltada aos gestores com direcionamento de olhares as questões administrativas e financeiras.

10. Polo do CEI: Polo com atribuição e data divergente entre setor de atribuição e calendário do Polo; Impacto no fornecimento de alimentação aos bebês e crianças; Professores em licença com turmas atribuídas; Crianças foram cadastradas e enviadas após a fase de atribuição dos polos.

11. Retrato da Rede: Gestão de Pessoas como maior queixa dos Gestores Educacionais da DRE Penha; Demora no atendimento pelos setores e respostas desencontradas; Ajustes de pessoal da DRE, formação e reuniões por Setor.

 

DRE Itaquera

DRE Itaquera 27 04 18Reunião na DRE Itaquera O SINESP foi representado pelos dirigentes Ana Maria e Norma Lúcia e pelos Conselheiros Monica, Fernanda e Denise.

1. Demanda: problema pontual no início de 2018 com os primeiros anos. Estão atendendo 40% e o Estado 60%.

2. Não tem módulos, estão com problemas sérios no fundamental 2 (matemática e geografia). Não estão autorizando designação de professores do CEI. Só realiza a designação se a regência for totalmente atendida.

3. Informou valores do adiantamento: CEI/EMEI= R$ 1.000,00; EMEF= 1.200,00, não tem suplementações. Se a unidade escolar precisar de mais é por DL.

4. Lavanderia do CEI: Estão com problemas e disse que SME está estudando fazer igual aos CEUs.

5. Demora no cadastro de títulos: Estão em dia e a evolução funcional está demorando 7 meses (SME).

6. Diálogo com os gestores: Irá verificar o que está acontecendo nos setores.

7. Comissão de Diretores voltará a ser mensal.

8. Limpeza no entorno da escola: quando solicitam eles fazem os encaminhamentos e o trabalho é realizado. Quem solicita tem sido atendido

9. Prédio da DRE: não existe prédio para locação que atenda às necessidades.

10. Foi realizado o histórico do ISEM e a queda em Itaquera foi apontada. Informou que em todo início de governo isso ocorre e no terceiro ano os índices melhoram.

 

DRE Ipiranga

O SINESP foi representado pelos dirigentes João Alberto e Alairse e pelos Conselheiros Fabio, Sonia, Ana Isabel e Adriana.

1. Toda demanda da educação infantil foi atendida.

2. Não tem proposta para solucionar módulos incompletos e insuficientes; queixas sobre o mesmo problema na DRE; concordou que situação está crítica; foram solicitadas providências sobre múltiplas convocações de docentes no mesmo dia e justificou que as mesmas ocorreram em função da greve, copa e eleições. Não foi aceita a justificativa apresentada.

3. Informou valores do adiantamento: CEI/EMEI = R$ 1.000,00; EMEF = 1.200,00 e garantiu que há suplementações todos os meses para as solicitações.

4. Disse que fizeram até mutirão aos sábados acabando com acúmulo de expedientes na DRE; prevê inúmeros problemas com a mudança de sistema de processos, pois TID não pode acabar antes da implantação definitiva do novo programa.

5. Diz que fornecimento de materiais dos CEIs é muito complicado por se tratarem de muitos itens, grandes quantidades e necessidade de acertos com SME.

6. Foram apontados os problemas generalizados da inclusão: AVE; laudos; adaptação de prédios e espaços, CEFAI; Não foi apresentada nenhuma devolutiva significativa.

7. Concordou com os problemas da terceirização, mas tratou como dado inevitável.

8. Reconheceu os problemas com a Informática e o SGP, mas ficou na transmissão dos casos para SME.

9. Sobre os elevadores alegou que foi feita licitação para resolver os problemas.

10. Apresentação e cobrança de soluções aos problemas levantados no ISEM foi ouvida, sem nenhuma preocupação em rebater ou discutir.

 

 

DRE São Mateus

O SINESP foi representado pelos dirigentes Luiz Carlos e Norma Lúcia e pelos Conselheiros Luciane, Andrea, Raquel e Rubens.

DRE SaoMateus 25 04 18Reunião na DRE São MateusFoi dado início a reunião com o retrato da rede e o índice do ISEM. A queda dos índices na questão de saúde, ambiente físico e equipamentos foram discutidos.

1- Vigilância: Escolas que possuem apenas um vigia e alguns CEIs que não tem nenhum devido a licenças médicas. Conhecimento de que haverá vigilância monitorada, mas não tem previsão.

2 - Prédios e equipamentos: Ata de manutenção das escolas (SME) sairá em breve. Computadores já estão chegando para todas as Unidades Educacionais. Sem informações sobre impressora e copiadora para CEI. Sobre orientação de material de emergência (luz de emergência e extintores) comprometeu-se a abordar esse assunto na formação que está sendo oferecida para os Diretores (formação elogiada pelos conselheiros).

3 - Módulo: Situação alarmante no quadro de faltas e licença médica de professores e ATEs.

4 - Inclusão: Necessidade de mais AVEs. Horário dos funcionários não contempla as necessidades das unidades. Existência de vagas, mas ausência de estagiários para escolha. Escolas centralizadas estão com estagiários e as mais afastadas não são escolhidas.

5 - Demanda: foram pontuais e já solucionadas no início do ano.

6 - Verbas: CEI repasse de 1200,00, EMEI 1400,00 e EMEF 1600,00. A necessidade de mais verba é analisada e a solicitação pode ser de até 3900,00. Formação será oferecida para maiores orientações para prestação de contas.

7 - Poda de mato: Necessidade de mudança em contrato devido a não atendimento a demanda.

8 - Material: Foi realizada a compra de 2845 colchonetes ocasionando o suprimento às necessidades dos CEIs e existência de reserva para reposição.

9 - Lavanderia: Contrato será igual ao dos CEUs.

10 – AP: Os supervisores não estão dando conta, devido a quantidade e ausência de qualidade.

11- Diminuição do quadro de limpeza, mas nenhuma unidade ficará com menos de três.

12- Recebimento de novos mobiliários nas EMEFs.

 

DRE Pirituba/Jaraguá

O SINESP foi representado pelos dirigentes Maria Cristina, Rosalina e Christian e pelos Conselheiros Samantha, Andre, Monica, Soraia, Edvane e Hilda.

DRE Pirituba 24 04 181. Gestão de Pessoal

- Apontada a falta de professor regente e professores CJ;

- Falta de AVE;

- Falta de ATE e módulo insuficiente;

- Sobre o remanejamento dos cargos comissionados de auxiliar administrativo movidos para as Unidades Educacionais: em fevereiro a DRE fez estas movimentações para unidades sem nenhum servidor do quadro de apoio. Retoma a publicação a ser realizada do concurso de ingresso para ATE. Citou as impugnações do Ministério Público para contratados (professores e auxiliares técnicos de educação);

- Levantamento da falta de ATE na DRE. Reconhecimento da necessidade de se debruçar sobre estudo para esta situação;

- Fim dos agentes escolares em vacância;

- Horários de funcionamento das EMEIs não contemplam o fechamento da Unidade quando ficam alunos à espera dos pais;

- Sobre o funcionamento dos polos: houve chamada exagerada de professores que em janeiro foram dispensados. Os CEIs receberam alunos especiais sem nenhuma orientação para o atendimento. Foi enfatizado o custo de gerenciamento de férias de professores ao longo do ano, a baixa frequência e a falta do olhar para com a infância.

DRE PiritubaII 24 04 18Reunião na DRE Pirituba2. Formação

- Relatada falta de sintonia na formação voltada para o Ensino Médio;

- Seminário do Currículo da SME: Vagas disponibilizadas insuficientemente, preenchidas na totalidade, porém inscritos de outras DREs acabaram faltando, ocasionando poltronas vazias;

- A formação para a Educação Infantil tem resistência em movimentar documentos já constituídos. As críticas ficaram com a formação propiciada por SME pelo conteúdo e tratamento aos Gestores Educacionais;

- EJA e EI tem sido chamadas para acolher expectativa. Segundo DRE 90% dos Coordenadores Pedagógicos têm participado da formação;

- Integrar CPs, Diretores e pedidos de reuniões abrangendo vários horários.

3. Demanda

- Foi relatada a ampliação do numero de crianças nas EMEIs com maior número por sala;

- Aumento de parcerias com CEIs;

- Falta de construção de EMEIs somada ao aumento dos convênios gerou situações em que alguns CEIs entendem como faixa etária de pré-escola;

- Algumas unidades têm acima de 29 alunos, porém sem ultrapassar a capacidade física das salas.

4. Violência

- Estudo de segurança por meio de um sistema a ser implementado na Rede. Falta de vigias nas unidades educacionais tem sido grande demanda;

- Existência de Processos Administrativos sobre furtos e roubos. Casos com maiores incidências em períodos isolados. Existência de unidades mais visadas. CEUs e EMEFs e algumas EMEIs tem vigilância terceirizada;

- Pedidos de ronda e DEAC têm sido estratégias adotadas pela DRE. Assessoria informou que pedirá priorização de atendimento de vigilância em novos aditamentos de contratos.

5. DRE

- Verificação de marcações de reuniões para que não se choquem umas com as outras. Realização de reuniões de forma descentralizadas usando os CEU como base para cada Distrito;

- Falta de coerência quanto a interpretações diferentes da mesma portaria (calendário);

- Controle e verificação do recebimento de Emails pela Direção Regional proporcionando melhoria na comunicação;

6. Verbas

- Cobrança da realização de reuniões com as unidades educacionais sobre verbas;

- PTRF voltou a ter três repasses, sendo em janeiro na reunião de organização assunto abordado. Luta do SINESP junto ao Ministério Publico pelo fim do confisco dos recursos do PTRF;

- Primeiro repasse depositado entre 16 e 17 de abril, período exíguo para uso dentro do prazo. Falas desencontradas pelo Setor responsável. Cobrança de respostas mais objetivas para os gestores educacionais;

- Afirmação de que não haverá confisco do próximo repasse;

- Solicitação de reunião para formação. Estudo de SME tem sobre questões como uso dos cartões das contas;

- Sobre o adiantamento bancário: discussão sobre o modelo de repasse bimestral;

- Dispensa de Licitação foi questionada quanto à prioridade e regras;

- Cobrança quanto a falta de transparência quanto aos prestadores/parceiros;

- Más condições das caixas D’água ou a não existência da mesma nas Unidades Educacionais. Caixas D´água de ferro estão oxidadas;

- Cobrança de cobertura das quadras em benefício dos Projetos Político Pedagógico;

- Problemas com a redução de materiais nos contratos de limpeza. Pregão: número de postos de serviço da limpeza;

- Lavanderias sem funcionários nos CEIs.

7. Informática

- Falta de manutenção dos equipamentos de informática. Chegada de novos equipamentos sem discussão com as unidades para melhor planejamento de cronograma;

- Falta de impressora com scanner nas Unidades de Educação Infantil;

- Limites de uso das verbas para informática;

- Redes de dados com baixa velocidade e queda constante de sinal;

- DIPED: laboratório de programação e chegada de Kits de robótica.

8. Kit de material

- Kits escolares para os anos finais ainda não entregues. Sem previsão dos Kits coletivos de 2017 que também foram não entregues.

9. Evolução

- Cobrança para aceleramento da evolução já digitalizada;

- Números dos processos devolvidos em 3 dias;

- Encaminhamento de lotes de títulos para cadastro no EOL, duas vezes por semana;

- Documentação dos cursos realizados em DRE tem ido integralmente via Sistema SEI. Existiu necessidade de adaptação por parte da DRE.

10. SGP

- Melhoria do sistema em resposta às necessidades apontadas.

 

DRE Butanta

DRE Butanta 19 04 18okReunião na DRE Butanta O SINESP foi representado pelos dirigentes João Alberto, Alairse e Getúlio e pelos Conselheiros Emílio, Marcia, Felipe, Mauro e Roseli.

Presentes pela DRE: Rui (diretor regional com cerca de um mês na função), Sílvia (Chefe gabinete) e Ana (Supervisora técnica).

1. Alteração dos critérios de distribuição Estado/PMSP trouxe problemas. Há grande quantidade de cadastros não atendidos na educação infantil em todos os setores, com meta de atendimento até setembro, através de conveniamento;

2. Não apresentou proposta para solucionar módulos incompletos e insuficientes; queixas sobre o mesmo problema na DRE;

3. Afirmou que situação do TEG é confortável;

4. Não apresentou respostas quanto ao tempo em que não há correção dos valores do adiantamento.

5. Colocou que a solução para a alta rotatividade de pessoal nos setores é “o respeito à história de vida de cada um”... Afirmou que tenta ter bom relacionamento com Prefeito regional para garantir podas e limpeza dos entornos; colocou a culpa em SME pela confusão generalizada nos critérios do MIROSC; Está com tratativas junto ao DER para construção de estacionamento às margens da Raposo para melhorar o atendimento e evitar assaltos;

6. Informou que materiais dos CEIs foram providenciados, mas conselheiros disseram que há faltas;

7. Referente ao apontamento dos problemas generalizados da inclusão: AVE, laudos, adaptação de prédios e espaços e CEFAI, discursou sobre respeito/solidariedade/desvio de função; Teceu elogios ao CEFAI e foi rebatido com inefetividade, insuficiência e papelada inútil;

8. Em relação ao erro nos tamanhos de uniforme, culpou os pais/equipes, mas conselheiros rebateram que o EOL está certo: o erro está na entrega;

9. Informou que descoberta de lei que exige cobertura das áreas externas de prédios públicos municipais, no caso de vigilância eletrônica, emperrou o processo por implicar num aumento de R$ 30 milhões nos gastos;

10. Apresentação e cobrança de soluções aos problemas levantados no ISEM; nota em queda mostra bem o “desmonte” apontado pelos filiados.

 

DRE Guaianases

O SINESP foi representado pelos dirigentes Ana Dunkel e Norma Lucia e pelos Conselheiros Arnaldo, Angélica, Ronilsa, Regina e Luiz Carlos. 

DRE Guaianases 17 04 18Reunião na DRE Guaianases1. Sobre Verbas:

- Justificou que os critérios diferentes são por causa das especificidades e que não pode utilizar verbas elevadas (A verba máxima liberada é de R$ 4000,00);

- Existe muita devolução de dinheiro por usar o mesmo prestador;

- Sabe que os valores de CEI são insuficientes e tenta ajudar comprando algumas coisas via almoxarifado (valores das verbas R$ 1200,00 CEI, R$ 1300,00 EMEI e R$ 1500,00 EMEF);

- Garantiu que até setembro tem verbas;

- Justificou que houve dificuldades para o fornecimento das verbas nos últimos meses do ano de 2017 devido ao orçamento, mas estão empenhados para que os mesmos problemas não se repitam em 2018;

- Em 2017 foi realizada uma compra relevante de colchonetes e há reserva para o ano de 2018 na DRE para as escolas que precisarem de reposição. A secretaria fará ata de lençol, babadores e toalhas.

2. Sobre violência informou que:

- O termo de licitação para vigilância já está pronto (termo de referência);

- A cidade foi dividida em lotes e Guaianases ficou para o mês de setembro;

- Irão trabalhar com menos vigilância orgânica e mais eletrônica.

3. Designação: Houveram problemas que ocasionaram a demora, porém já foram solucionados.

4. Demanda: justificou que foi um ano difícil por causa da demanda da primeira serie e o estado mudou o sistema (SEDS).

5. A DRE quer que mais escolas se tornem CEMEI, mas sabe que precisa do aval da secretaria. Esta fazendo estudos para solicitar.

6. Reforma: ata de manutenção e reforma de 4 escolas. Estão elaborando um manual de acompanhamento de obras.

7. Módulos:

- Estão com falta em todos os segmentos;

- Destacou o problema da lavanderia dos CEIs;

- Secretaria esta fazendo estudo para contrato de lavanderia como o modelo do CEU.

8. Formação:

- Reunião a cada 15 dias com os diretores novos e uma vez por mês com todos os diretores;

- CP disse que DIPED atende a rede direta e parceira, não disse a periodicidade;

- Disse que poucos estão indo nas reuniões do CRECE. A conselheira do SINESP rebateu dizendo que o horário não e adequado.

 

DRE São Miguel

O SINESP foi representado pelos dirigentes Ana Dunkel e Benê e pelos Conselheiros Paulo, Rosa, Maria Cristina Neila, Adriana (ex-Conselheira e recém-aposentada) e Regina (ex-Conselheira da região e eleita pelo segmento aposentados).

SaoMiguel siteReunião na DRE São Miguel

1. Apresentou dados da falta de professores para regência e módulo. DRE usa estratégia de convencimento dos professores de módulo para assumir regência nas escolas preocupação com fim de contrato, que SME não resolveu ainda, e não tem horizonte de soluções.

2. Reviu critérios com os Diretores e está ajustando o atendimento.

3. Admitiu falta de materiais e contou do problema na compra de sabão em pó e que vai abrir pregão para aquisição.

4. Admitiu matrícula acima do previsto em Portaria, especialmente na EI. Atendeu toda demanda obrigatória de EI. Momento de limpar as listas para garantir o número previsto.

5. Não apresentou proposta para enfrentamento da violência e socializou as dificuldades com a GCM.

6-Informou q não teve como liberar adiantamento bancário em abril (sem orçamento) mas vai tentar liberar em maio (libera máximo de R$4.000,00). Informou 4 escolas que receberão D L( 2 por Pref. Reg). Liberação de PTRF (12/4 CEI,13/4 EMEI e 16/4 EMEF/M).

7- A DRE cadastra em até 2 meses os títulos para evolução e Cogep leva outros 4 meses. Não soube informar se há problemas de atrasos em Cogep. Informou que fez mutirão para colocar em ordem os cadastros no ano passado.

8. Vai rever as estratégias de formação para lidar com a falta de professores. Colheu sugestões dentre os conselheiros.

DRE SaoMateus 11 04 18

 

DRE Santo Amaro

DRE StoAmaro 10 04 18DRE Santo AmaroO SINESP foi representado pelos dirigentes João Alberto, Márcia e Marilza e pelos Conselheiros Márcia, Denise, Rosângela, Andrea, Geraldo, Ana Lúcia e Shirley.

1. Perspectiva de aumento de vagas na educação infantil em 3 a 4 meses, com inauguração de parte das instalações do circo-escola, em Pedreira, que estão sendo adaptadas; depois só no ano que vem, com duas inaugurações;

2. Vai checar com contabilidade critérios de distribuição de verba de adiantamento bancário e informar diretores e SINESP por e-mail; SINESP reivindicou divulgação de valor mensal do repasse para cada EU;

3. Ficou de informar ao SINESP as próximas DLs e se há verba disponível para outras;

4. Informou a compra de 2.000 colchonetes e pregão para aquisição de 140.000 luvas;

5. Não apresentou proposta para resolver a falta de pessoal e disse que há estudos em SME para vigilância eletrônica em UEs; conselheiros sugeriram ação do SINESP no Ministério Público;não propuseram solução para atraso nos expedientes de vida funcional;

6. Concordou com críticas à inclusão, confirmou que não há plano de adaptação das UEs, mas elogiou PMSP (em comparação com o Estado) e afirmou que esse setor de sua DRE é um dos melhores da RME;

7. Afirmou que não há problemas no TEG na região;

8. Justificou que ficou sabendo da interrupção do serviço de uma terceirizada de merenda na véspera e sugeriu que diretores não se estressem com cobranças de dados em caso de não aceite de serviços: ratificar o informado e pronto;

9. Vai ver possibilidade de não convocação de professores de EJA para formação pela manhã e rever chamada de vários docentes no mesmo dia;

10. Vai se reunir com supervisores para permitir realização de mais de 2 pontes/ano;

11. Conselheiros apresentaram queixas sobre falta de urbanidade e respeito pelas servidoras do setores contabilidade, levando ao compromisso de reunião com as envolvidas;

12. Apresentação e cobrança de soluções aos problemas levantados no ISEM.

 

 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar