Marco histórico na vida da Entidade, o 21º Congresso “Educação na pós-modernidade” comemorou os 25 anos de fundação do SINESP.

Destaque
TIPOGRAFIA

Reafirmar princípios, discutir, propor, aprovar lutas, encaminhar moções, tudo isso ocorreu de forma intensa entre os dias 26 e 29 de setembro de 2017.  Não faltaram, também, emoção, boas lembranças e cumprimentos pelos 25 anos de existência do SINESP.

A data da abertura do 21º Congresso do SINESP – 26 de setembro – foi bastante significativa. Lembrava a fundação do Sindicato no ano de 1992 e comemorava o Dia do Gestor Educacional da RME, por uma iniciativa do Vereador Eliseu Gabriel, que propôs uma Lei nesse sentido.

Plateia 1

Vários eventos ocorreram durante o 21º Congresso:

Lançamento de selo comemorativo pelo Correios.

SeloLancamento 

Apresentação de pôsteres divulgando projetos de várias UEs da RME.

CartazesProjetosPed 

Apresentação de um vídeo com a retrospectiva das lutas e conquistas do SINESP no decorrer desses 25 anos, que pode ser acessado AQUI.

Lançamento dos livros de Joe Garcia e Marta Relvas.

JoeRelvas Livros 

Na mesa de abertura, o Presidente do SINESP Luiz Carlos Ghilardi e a Vice-presidente Maria Benedita de Castro de Andrade, Benê, receberam o Deputado Estadual Carlos Giannazi, os Vereadores  Eliseu Gabriel e Toninho Véspoli, a Profª Fátima Antonio, representando o CME e Edison Guilherme Haubert , Presidente do MOSAP – Movimento dos Servidores Públicos Aposentados e Pensionistas.

Veja AQUI vídeo da abertura do 21º Congresso.

Abertura

Todos, sem exceção, falaram sobre a gravidade do momento político do nosso país, ressaltaram a importância da educação  na formação da consciência crítica e fizeram um chamamento à participação de todos, imprescindível para a travessia que a nação terá que fazer.

O Dr. Jorge Forbes, Psicanalista e Médico Psiquiatra, Diretor da Clínica de Psicanálise do Centro do Genoma Humano da USP, criador do programa Terra Dois, da TV Cultura, autor de vários livros e artigos, proferiu a Conferência de Abertura “O mundo pós-moderno e a Educação”.

Forbes a

Esse tempo, que Forbes de forma genial define como Terra Dois, é de difícil compreensão para os que nasceram e viveram em Terra Um. Nesta, a ordem era vertical, a razão asséptica, havia  orientação paterna, verdade, diálogo, raciocínio, amor e futuro como projeção do presente.

Em Terra Dois, ou pós-modernidade, a ordem é horizontal, as articulações são coletivas, as certezas são temporais, os monólogos articulados, estão presentes o ressoar, o novo amor, a razão sensível, e o presente como invenção do futuro.

A transição se deu de forma rápida.  Os últimos cinquenta anos viram mudanças conceituais mais significativas do que os dois mil anos que os precederam.  Esse mundo, em que há multiplicidade de opções, em que muitas profissões não existirão dentro de poucos anos e outras serão reformuladas, em que a cada momento temos que definir como faremos nossos laços sociais, em que não há padrões ou guias estáveis, em que conviveremos com a inteligência artificial, é um imenso desafio e fonte de angústia para os educadores. É preciso que a educação veja além de uma norma vertical da sociedade, que procure orientar para escolhas responsáveis e que se ocupe a ajudar a  construir um novo humanismo, uma nova ética que responda à necessidade dessa Terra Dois. Tarefa difícil, mas possível, a ser compartilhada com a sociedade. 

Clique AQUI para ver o vídeo com a Conferência do Dr. Jorge Forbes.

Palestras por Eixos Temáticos

EixosTematicos

O SINESP vem buscando sempre a inovação. A distribuição dos trabalhos foi uma das propostas inovadoras do 21º Congresso. Quatro palestras antecederam o estudo dos princípios e discussão das lutas, contidos nos eixos temáticos: Riqueza da diversidade, Gestão educacional, Valorização do trabalhador e Repensando o currículo. O novo formato foi avaliado positivamente pelos participantes, que puderam refletir antecipadamente sobre o compromisso implícito às deliberações congressuais.  

Katia SiteKatia Smole“Repensando o currículo: a Base Nacional Comum Curricular foi o tema da palestra da Profª Drª Katia Smole, Doutora em Educação pela USP, na área de Ciências e Matemática e atual coordenadora do grupo Mathema, de formação e pesquisa.

O movimento de mudança curricular, em última analise, acontecerá no chão da escola, sendo a Base Nacional Comum Curricular o seu pano de fundo. Essa implantação, a escola fará com base em concepções políticas, curriculares, históricas e segundo sua cultura, seu jeito de organizar o tempo, de distribuir aulas, de avaliar.

Essa reflexão promovida por Kátia Smole foi acompanhada com interesse pelos educadores presentes ao Congresso do SINESP. Ela apontou aspectos aos quais as equipes deverão estar atentas, para o êxito na implantação da BNCC: a comunicação e engajamento das famílias sobre as mudanças, a formação continuada e apoio aos docentes, uma vez que a Base trará exigência de saberes que nem todas as crianças terão e o apoio pedagógico aos educandos.

JoseVicente SiteJosé Vicente“Riqueza da diversidade e o respeito aos Direitos Humanos” foi tema da palestra do Prof. Dr. José Vicente, Advogado, Mestre em Administração e Doutor em Educação pela Universidade Metodista de Piracicaba.

A trajetória da luta pelos Direitos Humanos foi árdua e antecedida pelos horrores da Segunda Guerra Mundial. José Vicente discorreu com maestria sobre essa histórica jornada.

A Declaração Universal dos Direitos Humanos da ONU data de 1948 e transformá-los em direitos efetivos deve ser luta perene da humanidade.

Embora reconheça avanços, José Vicente advertiu que a “diversidade racial, de gênero, religiosa e cultural requerem trabalho da sociedade para que sejam respeitadas e para entendermos que a prática da vida social devem garantir esses direitos subjetivos”. Ele denunciou o viés negativo e imobilizador dado ao tema Direitos Humanos no nosso país – como “direito de bandidos” –, por aqueles que se opõem à igualdade como garantia à vida plena e digna a todos os cidadãos.

Pedro SitePedro Ganzeli“Gestão educacional e os desafios cotidianos” foi tema da palestra do Prof. Dr. Pedro Ganzeli, Professor Livre Docente da Faculdade de Educação da Universidade Estadual de Campinas e Diretor da ANPAE/SP – Associação Nacional de Política e Administração da Educação.

Escola transformadora e emancipadora é possível? A resposta remete à visão de mundo que antecipa nosso fazer pedagógico: queremos formar consumidores ou sujeitos de direitos?

Para Pedro Ganzeli, uma escola democrática, organizada para a  interação entre pessoas, constrói o sujeito de direitos. Chega-se a ela pelo planejamento participativo, com conhecimento da realidade, vista de diferentes modos, por diferentes atores sociais, pais, educandos, professores, etc. Atender a tudo isso requer organizar o trabalho individual e coletivo antes, durante e depois das ações e decisões, para gerar identidade coletiva.

Emilia SiteEmilia CiprianoSobre a “Valorização do trabalhador e as condições de trabalho dos educadores da RME” discorreu a Prof.ª Drª Emilia Cipriano, graduada em Serviço Social e Pedagogia, Doutora em Educação (Currículo) pela PUC-SP, ex- Secretária Adjunta da SME, fundadora do Fórum de Educação Infantil, e do Instituto Aprender a Ser. 

Emília discorreu sobre o cenário atual, marcado por profundos retrocessos educacionais – escola sem partido, desqualificação de Paulo Freire como patrono da educação brasileira, disseminação do trabalho com apostilas, tirando a essência do fazer do professor. Nesse campo de disputa polarizada, valorizar o professor passa por oferecer-lhe condições formativas, físicas, emocionais e psíquicas para desenvolver o seu trabalho. Nesse aspecto, os princípios consolidados pelo SINESP em seus vinte e cinco anos de lutas, se respeitados e aplicados pelos governos, levariam a uma real valorização profissional aos educadores. Emília analisou alguns deles e reconheceu que, embora em condições adversas, os profissionais da RME de São Paulo vêm construindo histórias de êxito, que ela compartilha com os demais educadores pelo país afora.

Clique AQUI para ver o vídeo com as 4 palestras.

“Perfil do aluno contemporâneo e os desafios da convivência” foi tema do Diálogo entre o Prof. Dr. Joe Garcia e a Profª Drª Marta Relvas, mediado pelos Dirigentes Sindicais do SINESP Marilva Silva Gonçalves e Rinaldo Sérgio Leite.

JoeRelvas

Marta Relvas é Bióloga, membro da Sociedade Brasileira de Neurociência e Comportamento e da Associação Brasileira de Psicopedagogia, especialista em Fisiologia Humana, Bioética e Didática do Ensino Superior. Ela discorreu sobre as possibilidades da neurociência na educação, dando ao professor oportunidade de entender melhor o cérebro do educando que chega à escola e de promover uma revisão de suas práticas, em busca do estímulo e da coerência, essenciais à aprendizagem.

Joe Garcia é licenciado em Ciências pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná, Doutor em Educação pela PUC-SP e atualmente Professor Adjunto da Universidade Tuiuti do Paraná. Sua experiência no campo da pesquisa mostrou que problemas de convivência começam com o isolamento do aluno e com a dificuldade de sabermos cuidar uns dos outros. Uma escola marcada pela pedagogia do individualismo – cuide de si, tenha um desempenho diferenciado, seja melhor – leva a comportamentos não adequados, podendo chegar ao bulliyng, auge da falta de respeito pelo outro.

Joe Garcia observou que não são apenas os alunos que estão mudando, como ouvimos dos educadores. O que está mudando é o seu entorno cultural, social, econômico, familiar, alimentar, há uma mudança na matriz básica dos valores humanos. À  escola e aos educadores cabe ficarem mais atentos  ao senso de cuidado com o outro, com o planeta, a práticas sociais de amor, de senso de amizade e a modelos mais horizontais de convivência.

Clique AQUI para ver o vídeo com o diálogo entre os dirigetnes do SINESP Marilva e Rinaldo, Marta Relvas e Joe Garcia.

“A Educação e a emergência de múltiplos paradigmas: novos tempos, novas atitudes”, foi o tema da conferência de encerramento proferida pelo Prof. Dr. Mario Sérgio Cortella.

Cortella

Com essa temática, Cortella ressaltou características desejáveis no educador: coragem, humildade e paciência, ferramentas necessárias para lidar com o novo tempo na escola, que hoje recebe pessoas com deficiência, jovens inseridos em novas configurações familiares, pais com dificuldade de estabelecer regras e disciplina. Ele defende que o papel do educador é mediar o conhecimento dentro da realidade experimentada pelo educando. No entanto, argumenta que nada disso é possível sem um bom planejamento e sem a busca constante pela renovação.

Clique AQUI para ver a palestra de Mário Sérgio Cortella

Show com Luciana Mello foi presente de 25 anos

Luciana 

A comemoração dos primeiros 25 anos de lutas e conquistas do SINESP culminou com um show vibrante e emocionante dessa cantora maravilhosa.

Aos 5 anos de idade Luciana Mello já se apresentava com o pai, Jair Rodrigues, em programas de TV. Participou de vários discos - e shows - infantis, inclusive ao lado do irmão Jairzinho. Fez 4 anos de teatro, já são 20 anos de dança e estuda música com especialização em canto até hoje. Participou dos musicais “Pocket Broadway”, “Blood Wedding” e “O Rei e Eu”.

O conceito, a qualidade musical, a música, e a beleza de Luciana Mello estão dominando cada vez mais a MPB e conquistando cada vez mais pessoas! E ela trouxe tudo isso à apresentação especial feita para os participantes do 21º Congresso do SINESP, empregando seu carisma e uma simpatia estonteante para fechar com chave de outo esse grande e vitorioso Congresso e a comemoração do aniversário do Sindicato!

 

Nossos congressistas avaliam o Congresso:

Adriana Site"Foi muito bom ter participado do Congresso do Sinesp. Os temas apresentados foram muito enriquecedores para o nosso aperfeiçoamento profissional permitindo a reflexão sobre nossas práticas. Parabéns a todos do Sinesp!"

Adriana Helena dos Santos Silva, Coordenadora Pedagógica na EMEI Profª Antonieta de Barros, DRE Pirituba Jaraguá

 

 

 

Cesar Site"Pão de queijo, coxinha e croissant! Sim, minha avaliação destacará o excelente acolhimento que tivemos em todos os dias do congresso. 

Consta em inúmeros documentos a questão da valorização dos profissionais da educação, mas pouco vemos isso na prática. A escola é feita de gente, e gente não é só aluno, mas todos que atuam no chão da escola. 

Por isso, se se deseja realmente valorizar os educadores, que se siga o exemplo do SINESP que não se limitou a servir as tão famosas “bolachas pedagógicas”, símbolo do descaso com que nós educadores somos recebidos.

Queremos coxinha sim! Afinal, quem não gosta de ser bem tratado? Parabéns SINESP pelo congresso 2017. 

Prof. Dr. Cesar Nascimento, Supervisor Escolar na DRE Capela do Socorro

 

Mauro Site"Como sempre o Congresso do Sinesp mostrou ser um importante instrumento de conhecimento e aperfeiçoamento profissional, não só nas palestras como também na oportunidade de encontrar outros gestores e trocar idéias sobre o cotidiano de nossas unidades e como fazemos para resolver determinadas demandas inerentes ao gestor. Neste ano outro fato positivo foi o formato das palestras bem como dos eixos, que oportunizaram a todos uma participação com melhor qualidade, sem contar a organização e local do evento que dispensam qualquer comentários."

Mauro Morano, Diretor no CEI Antônio João Abdalla, DRE Butantã

 

 

 

VIVI SiteEm meio a tantas dificuldades educacionais e sociais enfrentadas no território de nossas unidades educacionais, em um país onde a pobreza e a falta de condições mínimas de sobrevivência são notórias, refletir sobre o tema proposto ao 21º Congresso do SINESP  "Educação na pós-modernidade",  viabilizou aos participantes a reflexão e a busca de novos mecanismos de humanização da gestão escolar voltada ao cenário sócio-politico do nosso país. Destacou a importância da formação da equipe gestora enquanto profissionais reflexivos, que devem preocupar-se tanto com as necessidades emocionais e intelectuais dos educandos como com as funções sociais da educação.

Parabéns ao SINESP e aos organizadores do 21º Congresso pela sensibilidade da organização de mais um processo formativo.

Viviane Sarti, Supervisor Escolar na DRE Pirituba Jaraguá

 

 

VEJA AQUI A GALERIA COM 200 FOTOS DO 21º CONGRESSO DO SINESP!

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar