SINESP conta em livro e vídeo seus 25 anos de lutas e conquistas

Destaque
TIPOGRAFIA

Contar uma história rica em detalhes, ações, conquistas e inovações em defesa dos Gestores Educacionais e dos trabalhadores brasileiros, como a do SINESP nesses 25 anos de existência, foi um desafio necessário para guardar a memória de tantas lutas vitoriosas, bem como exemplos de democracia, participação e representação.

Esse desafio moveu a Diretoria e a equipe de imprensa do Sindicato por anos, e resultou na apresentação­ dessa historia volumosa e única de duas formas: uma sucinta, em vídeo, e outra mais completa e detalhada, em livro, que será lançado em breve em evento no CFCL-SINESP, aguarde.

VEJA AQUI O VÍDEO QUE MARCA OS 25 ANOS DO SINESP!

Livro capa 26 11 16 Site 

Saiba mais sobre a história do seu Sindicato

O SINESP comemorou seus 25 anos de fundação no dia em que deu início ao seu 21° Congresso, com o tema “A Educação na Pós-modernidade”: 26 de setembro de 2017.

Era uma tarde de sábado, início da primavera, em 1992. Aos poucos, os Especialistas de Educação do Ensino Municipal começaram a chegar ao Sindicato dos Químicos, na Rua Tamandaré. Eles atenderam em massa a uma convocação de suas lideranças para formar o seu próprio espaço de luta trabalhista, o seu Sindicato.

Era uma plenária diversificada. Havia profissionais de todas as regiões da cidade, de diferentes modalidades de ensino, muitos ligados a partidos políticos de diferentes vertentes ideológicas. Que propósito levaria esses profissionais a virem, em pleno sábado, depois de uma semana de trabalho, atender a uma convocação para a formação de um sindicato?

Que tipo de elo, de valor, de imaginário unia esses profissionais?

Em primeiro lugar, eles tinham certeza da importância do sindicalismo e do sindicato como meio eficaz de agregar o trabalhador, promover a defesa de seus interesses e direitos profissionais.  

Em segundo lugar, eles estavam ali para defender o que consideravam um valor inestimável: a Carreira do Magistério da Rede Municipal de Ensino de São Paulo.  

Discutia-se, então, a criação do Estatuto do Magistério. Estavam em pauta temas fundamentais como carreira, concurso público, qualidade da educação, direitos e obrigações.

A polêmica proposta de eleição para cargos da carreira, defendida pelo governo Erundina, foi amplamente rejeitada pelos educadores municipais. A defesa republicana pelo concurso público moveu, então, os Especialistas de Educação a fundar seu espaço de lutas, o SINESP. Foi um ato de coragem consciente e fundamentado em princípios que nos guiaram e nos guiam até hoje, durante esses vinte e cinco anos.

Sem o inimigo comum da ditadura, a nova Constituição mostrava ser imprescindível que as decisões majoritárias respeitassem os direitos das minorias, caso dos ocupantes de cargos de coordenação, direção e supervisão.

Teve pleno êxito a busca desse espaço de respeito que impulsionou a criação do SINESP.

Somos um sindicato de especialistas, hoje Gestores Educacionais, que tem lutas amplamente generalizadas.

Que coloca como prioridade das suas ações a qualidade da educação oferecida à população.

Que, por acreditar na gestão democrática, tem representantes em todos os conselhos da cidade.

Que, por acreditar no valor da alternância e na contribuição de novas de lideranças, já teve à  frente cinco presidentes eleitos pela sua base.

Que, por valorizar o convívio reflexivo entre diferentes pensamentos agrega, entre seus dirigentes, representantes de diferentes tendências políticas.

Que guia as decisões baseado em princípios construídos e discutidos ano a ano pela sua base.

Esse conjunto de características traçou o perfil sindical do SINESP. Construiu a credibilidade da qual esse Sindicato tanto se orgulha.

Tudo isso fez do SINESP uma entidade agregadora, que veio para somar, para compor estratégias de luta com as demais Entidades Sindicais, para reconhecer e respeitar a independência sindical de seus parceiros, da mesma forma que quer ver sua independência sindical reconhecida e respeitada!

Uma rede de ensino complexa e desafiadora como a nossa exige a presença de sindicatos fortes e dinâmicos como temos na cidade de São Paulo.

Ao SINESP cabe o dever, confirmado por carta sindical, de representar e valorizar o fazer profissional dos Gestores Educacionais. E tem feito isso, nesses 25 anos, com empenho e dedicação.

Prova disso são as várias lutas vitoriosas que empreendeu:

Pela histórica reconquista da aposentadoria especial aos Gestores Educacionais,

Pelas ações contundentes junto ao MP, como a que promoveu contra a redução da verba do PTRF,

Pela realização de concursos de acesso aos cargos da carreira, que os governos insistem em “esquecer” e precisam sempre ser “lembrados”, como ocorreu agora com a criação de 97 cargos de Supervisor.

A comemoração dos 25 anos do nosso Sindicato coincide com um grave momento de transição na vida nacional. É preciso que s Educadores percebem a importância dessa transição, porque sair vitoriosos desse momento requer unir forças! Banir as divisões entre aqueles que acreditam nos mesmos valores. Acabar de vez com o “nós contra eles”.

Da mesma forma como unidos lutamos contra a ditadura, vamos nos unir agora na luta por uma agenda comum, tendo à frente os valores republicanos e a defesa dos mais vulneráveis na escala social.

Sabemos que tudo isso passa pela educação, pela luta sindical e pela garantia dos direitos trabalhistas. É, portanto, momento oportuno para confirmar os princípios construídos nos 21 Congressos do SINESP e em outros tantos encontros, eventos e lutas.

Agindo assim, como fizeram há 25 anos aqueles Especialistas de Educação, os Gestores Educacionais de hoje mostrarão disposição para romper os limites do real, enfrentar os obstáculos e plantar a semente para um futuro melhor.  

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar